Publicidade

Artigos de saúde

Punições Físicas

A Academia Americana de Pediatria (ACP) e a Associação Nacional de Educação (ANE) se opõe fortemente às punições físicas. Todas crianças precisam ser disciplinadas centenas de vezes, mas existem alternativas às punições físicas, tais como o redirecionamento da criança, retirada de um privilégio, ou colocá-la de castigo em seu quarto. Crianças podem ser educadas e se tornarem adultos disciplinados, responsáveis e produtivos sem nunca terem sido punidas fisicamente.

Existem vários argumentos bons para que nunca se use a punição física pois pode liberar a raiva que muitos adultos carregam dentro de si. Esta raiva pode subir a níveis incontroláveis e transformar a punição física bem intencionada em um caso de abuso. Pais que usam a punição física como último recurso para disciplinar podem descobrir que eles subestimaram a determinação da criança. Logo, a punição física piora o comportamento agressivo porque ensina a criança a enfurecer-se. Outras formas de disciplina podem ser mais construtivas, produzindo sentimento de culpa e contribuindo assim para a formação da consciência.

Punição física segura

É preferível que não se use punição física para se disciplinar as crianças, mas se achar necessário, siga as seguintes instruções para realização de uma punição segura:

- Use sempre outros tipos de punição como colocar de castigo. A punição física deve ser aplicada somente em casos extremos de comportamentos perigosos ou que deliberadamente desafiem as suas ordens.
- Só bata com a mão aberta. É difícil julgar a força empregada em bater com outro objeto que não a sua mão. Cintos e outros objetos podem causar equimoses ou hematomas. A punição física nunca deve causar mais do que uma vermelhidão cutânea temporária.
- Acerte apenas nas nádegas, pernas ou mãos. Acertar uma criança na face é insensato e perigoso. Na verdade, um tapa na face é inapropriado em qualquer idade pois no momento de tal punição seu filho pode virar o rosto de repente podendo sofrer dano visual ou auditivo permanente.
- Dê somente um tapa; isto é suficiente para mudar um comportamento. Bater em uma criança mais de uma vez provavelmente aliviará a sua raiva, mas não acrescentará nada ao processo educacional de seu filho.
- Nunca puna fisicamente crianças com 18 meses ou menos. A punição física é totalmente inapropriada antes de seu filho ser capaz de andar e desnecessária após os seis anos de idade, uma vez que você pode usar a negociação e a discussão para resolver a maioria das diferenças com crianças em idade escolar.
- Devido ao risco de formar coágulos no cérebro (hematomas sub-durais) nunca sacuda crianças; não importa a idade.
- A punição física deve ser usada somente uma vez por dia. Quanto mais uma criança apanha, menos efeito é alcançado.
- Aprenda outros métodos disciplinares que não a punição física. Colocar a criança de castigo em um canto isolado ou quarto é muito mais civilizado e eficiente. Aprenda a usar outras formas para disciplinar seu filho.
- Nunca bata em seu filho quando estiver fora de controle, com medo ou sob efeito de álcool. Alguns pais não conseguem parar de bater em seus filhos porque não conseguem controlar sua raiva e por isso necessitam de ajuda.
- Não use punição física quando seu filho agir agressivamente (morder, bater ou chutar outras crianças ou adultos), pois sob tais circunstâncias a criança concluirá ser certo uma pessoa maior bater em pessoas menores. Crianças agressivas precisam aprender a se controlarem. Elas aprendem mais ao serem colocadas de castigo, o que dá à elas a oportunidade de pensar sobre a dor que causaram. Nunca permita que babás, profissionais de creches ou professores batam em seus filhos.

Escrito por B.D. Schmitt, M.D., autor de "A saúde de seu filho" Bantam Books
Copyright © 1999 Clinical Reference Systems



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: