Publicidade

Artigos de saúde

Primeira Gravidez: Será que Você Está Preparada?

Gravidez pode parecer uma coisa simples, mas antes de engravidar é preciso checar como está a sua saúde. Antes de conceber o bebê comece por uma visita ao seu ginecologista que vai tratar os eventuais problemas que podem atrapalhar ou ser um obstáculo à sua gestação.

Assim, o médico poderá tratar desses problemas e fornecer aos futuros pais várias informações úteis sobre fecundidade, quando parar com os anticoncepcionais, ovulação, etc.

O check-up precisa ser feito no tempo certo antes da mulher programar a gravidez, especialmente se tem, como por exemplo, doenças crônicas, como a diabetes, lúpus, hipertensão, entre outras. Afinal, o acontecimento da gravidez pode estar carregado de sonhos e que normalmente se transformará em realidade - o seu bebê.

Existe uma série de conselhos e indicações que qualquer um deve seguir, afinal na gravidez, a prevenção é sempre melhor que remediar. Além disso, nunca se esqueça que apenas o seu médico poderá dar respostas pessoais. Confira e busque orientação de seu médico.

Idade - Se você já passou dos 35 anos, os exames antes de engravidar são fundamentais para detectar a presença de fibromas. Um check-up completo permite detectar anomalias ou infecções.

A partir desta idade, existe a necessidade de informações complementares como a avaliação do líquido amniótico para detecção da trissomia - responsável por bebês da síndrome de Down.

Fecundidade - Normalmente a fecundidade médica do casal é 25 por cento/mês. Este diminui em função da idade da mulher. Após dois anos, sem contracepção e sem bebês, vale consultar um especialista para avaliação do casal.

Hipertensão Arterial - Se você já é hipertensa e ela está sob controle, normalmente a gestação acontecerá sem problemas, mas a palavra de um especialista é essencial.

Logo após o acompanhamento será em conjunto obstetra e cardiologista. Outro ponto importante é com a hipertensão gravídica que pode apresentar complicações para a mãe e feto. No caso de ocorrer na primeira gravidez na próxima poderá ser prevenida. Ter o acompanhamento médico é fundamental.

Aids - a opção de engravidar caso seja soropositiva é extremamente pessoal. Neste caso, vale refletir e discutir com o seu médico sobre todos os riscos e problemas.

Doenças crônicas - seja qual for a doença é preciso que seu médico esclareça detalhes sobre isto. Casos de epilepsia, lúpus precisam se relatados. Alguns medicamentos podem influir na formação do bebê.

Asma e alergias - é sempre prudente consultar um especialista. Já no caso de asma é preciso sempre de um controle para uma gravidez mais tranqüila. Esclarecimento e prevenção não podem faltar.

Bebidas Alcoólicas e Cigarro - álcool, fumo e gravidez não combinam. O melhor é suspender o seu consumo. O álcool pode causar anomalias fetais - fetopatias alcoólicas. O cigarro é prejudicial tanto para o futuro bebê quanto para a mãe. Pense neste terrível binômio.

Orientação

Para ter uma gravidez tranqüila toda mulher deve fazer um check-up como formar de garantir um período de nove meses de muita tranqüilidade. Se a gravidez é planejada - existe tempo para que se tome toda a precaução.

Neste caso, é preciso que a futura mãe verifique e esclareça ainda junto com o seu médico questões como: abortos de repetição, gravidez após um câncer de mama, problemas cardíacos, antecedentes de cesariana (causa), cisto de ovário, problemas de coluna, necessidade do uso de cortisona, diabetes, doenças genéticas, renais, crônicas; fibromas; herpes genital; uso de medicamentos; miopia; antecedentes de prematuro; problemas com colo uterino; peso; vacinação contra rubéola ; toxoplasmose e vacinas.

No caso de vacinas, alguns meses antes de engravidar é preciso que a mulher procure o seu médico para lhe fornecer as orientações e determinar quais serão as vacinas necessárias.

Três meses antes de engravidar é o período ideal para as vacinas contra rubéola e pólio (que ministrada por via oral). Os especialistas aconselham também se vacinar contra sarampo e febre amarela.

As vacinas antitênica e contra hepatite B podem se tomadas durante a gestação .

Mudanças no corpo durante a gravidez

Estar consciente das mudanças ocorridas no corpo durante a gravidez é um dos caminhos mais seguros para viver essa fase com bastante tranqüilidade. A gestante precisa estar preparada para viver este período com tranqüilidade e conhecer os sintomas, alterações e as situações em que, consultar o seu médico, é o melhor caminho a seguir.

Algumas situações poderão servir como uma fonte permanente de informação durante os nove meses da gravidez.

Azia e prisão de ventre

A alteração hormonal que ocorre durante a gravidez interfere na produção de enzimas digestivas e no peristaltismo intestinal e em conseqüência, a digestão fica mais lenta e a azia e a prisão de ventre se tornam inevitáveis.

Uma dieta leve, com bastante fibra, líquidos e frutas (as menos ácidas como mamão, melão, ameixa, figo, por exemplo), muitas resolvem o problema. Nestes casos é bom lembrar que a auto-medicação é perigosa. Os medicamentos, mesmo os mais inofensivos, só devem ser tomados a conselho médico.

Inchaço

Um ligeiro inchaço é normal e previsível. No entanto, se a retenção de água estiver sendo excessiva, deve-se comunicar ao médico para evitar problemas mais sérios, como, por exemplo, sua associação com a hipertensão. É uma situação que exige cuidados. A medicação e/ou orientação médica adequada tem o objetivo de normalizar a situação.

Câimbras e Cólicas

No caso das câimbras, uma avaliação médica é fundamental para avalizar ou corrigir este problema, que geralmente ocorre em conseqüência do edema gestacional e/ou déficit alimentar em cálcio, potássio, etc.

Já em casos de cólica, o médico lembra que não é um sinal de aborto, mas é o tipo de sintoma que a mulher grávida no 1º trimestre deve procurar o seu médico. Em alguns casos, as cólicas e dores abdominais são sintomas que poderão ser observados durante toda a gestação e sem nenhuma repercussão à gravidez.

Sangramento

Ocorrendo no início da gravidez pode se tratar de ameaça de abortamento ou sangramento de implantação do embrião. Nesse caso é bom avisar o médico e checar a necessidade de uma verificação rápida. Fique atenta. O sangramento requer cuidado imediato.

Enjôo e Vertigens

Comum nos três primeiros meses de gravidez, o enjôo é uma das primeiras manifestações de que o organismo está passando por transformações. Pode ser causado pelas alterações hormonais, pelo aumento dos ácidos estomacais e até por fatores psicológicos.O enjôo só deve ser causa de preocupação, quando seguido de vômitos incoercíveis.

Este não é um sintoma freqüente, mas pode ocorrer. Cada mulher tem um ritmo para se adaptar a nova situação. Pequenas vertigens podem ser apenas sinal de que o organismo está precisando de um pouco mais de tempo para se adaptar. Na consulta de pré-natal, não esqueça de relatar este sintoma.

Corrimento

É uma reação comum do organismo feminino às alterações que o meio vaginal sofre durante a gravidez. Não é sinal de nenhuma irregularidade, mas deve ser tratado com atenção.

Cáries

Há alguns anos atrás, o problema de fragilidade dentária das grávidas esteve ligado a uma possível perda de cálcio. Hoje, através de estudos mais recentes liga-se este fato a uma alteração na saliva que pode desencadear um processo de cáries, gengivas inchando e sangrando através da ação dos hormônios.

Bebê

Os primeiros movimentos fetais são esperados com ansiedade pelas futuras mães, que geralmente ocorrem em torno da 18ª. a 22ª. semana de gestação. Em alguns casos, mães inexperientes podem demorar mais tempo para sentir as acrobacias do bebê. Mas depois de já mexer com regularidade, o bebê se aquietar, comunique com o seu médico.

Existem exames simples e rápidos como, por exemplo, à ultra-sonografia que checam o bem-estar do feto e garantem a tranqüilidade da futura mãe, ressalta o ginecologista.

Fique alerta

Todas as mulheres grávidas apresentando sintomas como sangramento ou perda de líquido vaginal, alterações abdominais e/ou contrações uterinas intensas, dores de cabeça intensa e freqüente, parada de movimentos fetais e edemas de membros inferiores, mãos e face, devem procurar imediatamente um serviço de assistência médica.

Além disso, os médicos advertem quanto aos perigos do fumo durante a gravidez, o alcoolismo e com relação ao uso de drogas, porque além de comprometer a mãe, comprometerá radicalmente o desenvolvimento do bebê.

Copyright © 2000 eHealth Latin America



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: