Publicidade

Artigos de saúde

Telefones Celulares: Até Que Ponto São Perigosos?

Até que ponto os telefones celulares podem ser perigosos? O hábito de fazer uma ligação por telefone celular tornou-se hoje tão comum como uma ligação de telefonia fixa. Acreditava-se até alguns anos atrás que o uso intenso de telefones celulares era capaz de levar a alterações neurológicas nos usuários, principalmente relacionadas ao surgimento de tumores cerebrais.

Um estudo publicado em maio de 2000 pelo Independent Expert Group on Mobile Phones da Inglaterra concluiu que o uso de telefones celulares têm pouca probabilidade de causar câncer ou qualquer outra doença. Um resumo deste estudo foi publicado na revista Lancet de 20 de maio de 2000.

Apesar dos resultados dessa nova pesquisa inglesa serem tranqüilizadores, os seus autores recomendam cautela e sugerem que crianças não deveriam ser incentivadas a usarem aparelhos de telefonia celular, a não ser em situações em que fossem absolutamente necessárias estas chamadas.

De acordo com um dos especialistas que participaram da elaboração do estudo, o Dr.Colin Blakemore da Universidade de Oxford, Inglaterra, é bem conhecido que a radiação de radiofreqüência é capaz de ocasionar um efeito visível nos tecidos e células do corpo; nas crianças, segundo o pesquisador, o cérebro é menor e ainda encontra-se em desenvolvimento, e os ossos do crânio são mais finos.

Assim, nelas, existe um risco potencial de exposição à radiofreqüência emanada dos telefones celulares. "Todos estes fatores deveriam ser levados em consideração ao analisarmos o uso de celulares pelas crianças", diz o Dr.Blakemore. Segundo ele, apesar de não haver um risco bem definido para a saúde das crianças, a intenção do relatório foi a de enviar uma mensagem para a indústria, de forma a que ela não continue a comercializar telefones celulares para crianças pequenas, até que novas pesquisas venham a ser realizadas.

Apesar de que muitos aspectos da telefonia celular ainda não estão esclarecidos, existe uma certeza acerca de um deles: dirigir enquanto se fala a um telefone celular é perigoso.

Telefones celulares e acidentes de trânsito

Devido à crença de que o uso de telefones celulares ao dirigir pode levar a acidentes de tráfego, em muitos países o seu uso foi totalmente proibido para o motoristas, como no Brasil; muitos outros países estão, neste momento considerando também fazer esta proibição.

O estudo inglês do Independent Expert Group on Mobile Phones cita um trabalho canadense publicado em fevereiro de 1997 na revista The New England Journal of Medicine. Neste trabalho, foram avaliados 669 motoristas que se envolveram em acidentes de tráfego considerados como menores, com grande perda material, porém sem lesões graves aos ocupantes do veículo.

Os autores, com baseados na Universidade de Toronto, Canadá, verificaram todas as chamadas feitas e recebidas nos telefones celulares dos motoristas no dia da colisão, e também durante a semana anterior. Uma verificação detalhada das contas telefônicas foi realizada para obterem estes dados.

Nos resultados, verificou-se que o risco de uma colisão ao usar um telefone celular era quatro vezes maior do que o risco desta colisão ocorrer quando o telefone não estava sendo usado.

Chamadas feitas ou recebidas próximas ao momento da colisão foram particularmente danosas (o risco relativo de colisão foi de 4,8 para uso do celular 5 minutos antes da colisão, enquanto que o risco relativo foi de 1,3 para uso do celular há mais de 15 minutos antes da colisão). O uso do dispositivo hands-free não ofereceu vantagem de segurança adicional, nesta estatística, sobre chamadas feitas com aparelhos normais sem o dispositivo.

Cerca de 39% dos motoristas fizeram chamadas para os serviços de emergência usando os seus celulares após a colisão, sugerindo que ter um telefone celular pode propiciar algumas vantagens na comunicação após uma colisão.

O Dr.Blakemore comenta: "Uma campanha governamental na Inglaterra adverte os motoristas a usarem o dispositivo hands-free ao invés do telefone celular normal ao dirigir, mas seria melhor para os motoristas não usarem o telefone em nenhum momento enquanto estão com volantes. Mas não significa que as pessoas não devam portar seus telefones; muitas vidas foram salvas por chamadas feitas em situações de emergência para as unidades de socorro", diz ele.

Fontes: Lancet 2000; 355: 1793 - 1800
N Engl J Med 1997;336:453-8

Copyright © 2000 eHealth Latin America



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: