Publicidade

Artigos de saúde

Saiba Tudo Sobre a Febre Amarela

A febre amarela é doença viral infecciosa aguda de curta duração e gravidade variável. Os casos mais leves apresentam um quadro clínico indefinido; os ataques típicos se caracterizam por um quadro similar ao do dengue que inclui começo repentino, febre, calafrios, cefaléia, dorsalgia, mialgias generalizadas, náusea e vômitos.

À medida que avança a febre amarela, o pulso se torna mais lento e fraco embora a temperatura possa ser elevada; ás vezes se observam albuminúria pronunciada e anúria. A leucopenia manifesta-se logo ao início, para tomar-se mais evidente por volta do quinto dia. Os sintomas hemorrágicos comuns incluem epistaxes, hemorragia vestibular e bucal, hematêmese e melena. A icterícia é moderada no princípio da doença e se intensifica mais tarde.

O agente infeccioso da febre amarela é um vírus do Grupo B togavírus (flavivírus).

O reservatório da febre amarela nas zonas urbanas é o homem e o mosquito Aedes aegypti e nas florestas, outros vertebrados diferentes do homem, em sua maior parte macacos e talvez os marsupiais e mosquitos da selva.

A transmissão transovárica nos mosquitos pode contribuir para a persistência da infecção. O homem não intervém, de forma essencial, na transmissão da febre amarela nem para a perpetuação do vírus.

Nas zonas urbanas, e em algumas zonas rurais, a doença é transmitida pela picada de mosquitos Aedes aegypti infectantes e nas selvas da América do Sul, pela picada de várias espécies de mosquitos silvestres do gênero Haemagogus.

O período de incubação da febre amarela é de três a seis dias. O sangue dos doentes é infectante para os mosquitos muito pouco antes de começar a febre e durante os primeiros três a cinco dias da doença.

É altamente transmissível nos locais onde coexistem muitas pessoas suscetíveis e abundantes mosquitos vetores. Não se transmite por contato nem por veículos comuns. Uma vez infectado, o mosquito mantém essa condição até o fim de sua vida.

A febre amarela confere imunidade duradoura e não se conhecem segundos ataques. Nas zonas endêmicas são comuns as infecções leves não manifestas. A imunidade passiva transitória das crianças nascidas de mães imunes pode persistir por até seis meses. Em infecções naturais, os anticorpos aparecem no sangue no curso da primeira semana da doença.

Fonte: Doenças Infecciosas e Parasitárias - 1996.

Copyright © 2000 eHealth Latin America



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: