Notícias de saúde

70% das crianças infectadas pelo novo coronavírus podem ser assintomáticas

15 de setembro de 2020 (Bibliomed). Até 70% das infecções por pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) em crianças podem passar despercebidas, a menos que testes de rotina e medidas de rastreamento de contato sejam implementadas, descobriu um estudo do Hospital Infantil da Universidade Nacional de Seul, na Coréia do Sul.

O estudo consistiu na análise de 91 crianças com casos confirmados do vírus em 20 hospitais da Coréia do Sul, das quais 20 permaneceram assintomáticos durante a doença e 47 apresentaram sintomas não reconhecidos antes do teste. Outras 18 desenvolveram sintomas após terem sido testadas e seu diagnóstico confirmado.

Os dados foram coletados entre 18 de fevereiro e 31 de março de 2020, e as crianças foram tratadas em um hospital ou instalação de isolamento não hospitalar. Todas se recuperaram, apesar de algumas permanecerem doentes por mais de 30 dias.

Quarenta e uma das crianças desenvolveram infecções do trato respiratório superior como resultado do COVID-19, enquanto 22 tiveram infecções no trato respiratório inferior. O vírus permaneceu detectável em crianças com infecções do trato respiratório superior por 19 dias, em comparação com 20 dias para aquelas com infecções do trato respiratório inferior, de acordo com os pesquisadores.

A maioria das crianças (57) foi infectada após entrar em contato com alguém em casa que estava doente, mas 15 contraíram o vírus após contato com alguém que havia viajado para uma área afetada e 11 adoeceram após participar de grandes reuniões.

Com base nos resultados do segundo teste, mesmo as crianças assintomáticas no estudo continuaram a transmitir o vírus, o que significa que permaneceram contagiosas por até 14 dias após o diagnóstico.

Para os pesquisadores, essas crianças podem estar associadas à transmissão silenciosa do COVID-19 na comunidade, e por isso é importante detectar crianças infectadas por meio de testes, bem como entender o comportamento e padrões de contato delas, que são muito diferentes dos de adultos.

Fonte: JAMA Pediatrics. DOI: 10.1001/jamapediatrics.2020.3988.

Copyright © 2020 Bibliomed, Inc.

Copyright © 2020 Bibliomed, Inc.

Veja também

Faça o seu comentário
Comentários