Notícias de saúde

Síndrome inflamatória em crianças está ligada à COVID-19

08 de junho de 2020 (Bibliomed). Recentemente, o novo coronavírus, causador da COVID-19, foi relatado como possivelmente associado a uma doença pediátrica por síndrome inflamatória multissistêmica - "Síndrome inflamatória pediátrica por múltiplos sistemas potencialmente associada a COVID-19". Em 5 de maio de 2020, 64 casos clínicos pediátricos suspeitos compatíveis com a síndrome inflamatória multissistêmica associada ao COVID-19 foram relatados em crianças nos hospitais do Estado de Nova York, nos Estados Unidos.

A síndrome inclui características que se sobrepõem à doença de Kawasaki e à síndrome do choque tóxico, como marcadores inflamatórios elevados, febre e sintomas abdominais e erupção cutânea. Miocardite e outras alterações cardiovasculares podem ser observadas, e alguns pacientes podem apresentar evidências de disfunção de um ou mais órgãos ou desenvolver choque cardiogênico ou vasogênico, necessitando de cuidados intensivos. A síndrome pode ocorrer dias a semanas após a doença aguda por COVID-19.

O reconhecimento precoce por pediatras é essencial, com encaminhamento imediato a um especialista, incluindo cuidados intensivos. Pediatras e especialistas devem considerar essa síndrome, principalmente quando outras etiologias microbianas foram excluídas. Devem-se obter informações relacionadas ao histórico recente de doença de uma criança com COVID-19 ou contato próximo com indivíduos conhecidos por ter COVID-19. A maioria dos pacientes que apresentam essa síndrome apresentou teste positivo para coronavírus 2 da síndrome respiratória aguda grave (SARS-CoV-2) em testes diagnósticos ou moleculares ou em testes sorológicos para os anticorpos correspondentes.

Em uma declaração de 6 de maio de 2020, a American Heart Association observou que um pequeno número de pacientes pediátricos desenvolveu essa síndrome inflamatória mais grave com o COVID-19 na Europa e recentemente nos Estados Unidos. "A infecção por COVID-19, que leva a doenças críticas em crianças, permanece muito pouco frequente", escreveu a AHA no comunicado.

Fonte: AHA. Heart News. New York State Department of Health.

Copyright © 2020 Bibliomed, Inc.

Copyright © 2020 Bibliomed, Inc.

Veja também

Faça o seu comentário
Comentários