Notícias de saúde

Novo medicamento para pneumonia causada pelo COVID-19

08 de abril de 2020 (Bibliomed). Pesquisadores podem ter identificado um novo medicamento que pode reduzir o dano pulmonar associado ao COVID-19. O antiviral EIDD-2801 foi eficaz em camundongos na prevenção de pneumonia grave causada pelo novo coronavírus, que provavelmente foi um dos principais fatores de doenças graves e morte em alguns dos infectados, de acordo com resultados publicados na revista Science Translation Medicine. A droga já terminou os testes em ratos e começará os ensaios clínicos em humanos nos próximos meses.

O EIDD-2801 é um dos vários tratamentos possíveis para o vírus atualmente sob investigação, juntamente com os medicamentos hidroxicloroquina e cloroquina, usados no tratamento da malária e lúpus e transfusões de plasma sanguíneo doados por pessoas que se recuperaram. O novo medicamento mostra potencial como tratamento ou prevenção de doenças graves, supondo que funcione em humanos.

Os pesquisadores testaram a droga em células pulmonares humanas cultivadas infectadas com SARS-CoV-2. Além disso, eles testaram em camundongos infectados com o SARS-CoV relacionado com coronavírus, ou síndrome respiratória aguda súbita, e MERS-CoV, ou síndrome respiratória do Oriente Médio.

Quando usado como profilático, o EIDD-2801 preveniu lesões pulmonares graves em camundongos infectados. Além disso, quando administrado como tratamento 12 horas ou 24 horas após a infecção, o EIDD-2801 reduziu o grau de dano pulmonar e perda de peso em camundongos. Espera-se que essa janela de oportunidade seja mais longa em humanos, porque o período entre o início da doença e a morte de COVID-19 é geralmente prolongado em humanos, em comparação com ratos, podendo chegar a duas semanas ou mais.

O medicamento é um antiviral disponível por via oral que pode ser tomado como pílula e adequadamente absorvido para viajar para os pulmões. Comparado com outros tratamentos potenciais com COVID-19 que devem ser administrados por via intravenosa, o EIDD-2801 oferece uma vantagem potencial no tratamento de pacientes menos doentes ou na profilaxia - por exemplo, em casas de repouso onde muitas pessoas foram expostas, mas ainda não estão doentes.

Se os ensaios clínicos em humanos forem bem-sucedidos, o medicamento pode ser usado para limitar a disseminação do SARS-CoV-2, e também para controlar futuros surtos de coronavírus emergentes.

Fonte: Science Translation Medicine. DOI: 10.1126/scitranslmed.abb5883.

Copyright © Bibliomed, Inc.

Copyright © 2020 Bibliomed, Inc.

Veja também

Faça o seu comentário
Comentários