Artigos de saúde

Glaucoma

© Equipe Editorial Bibliomed

Neste artigo:

- Introdução
- Tipos
- Sintomas
- Diagnóstico e fatores de risco
- Tratamento

Introdução

O glaucoma é uma doença ocular causada pelo aumento da pressão intraocular, que causa lesões no nervo ótico e compromete a visão. Se não for tratada adequadamente, o paciente pode evoluir para a cegueira.

Estima-se que mais de 60 milhões de pessoas em todo o mundo sofram com a doença, que a segunda principal causa de cegueira, ficando atrás apenas da catarata.

Tipos

Existem diferentes tipos de glaucoma:

- Glaucoma Primário de Ângulo Aberto: também conhecido como glaucoma simples crônico é o tipo mais comum da doença. Geralmente, afeta os dois olhos ao mesmo tempo e aparece na idade adulta. É especialmente assintomático e, por ser gradual, é perceptível apenas quando o nervo óptico está bastante lesionado. Pode ser assintomático até o nervo estar bastante lesionado.

- Glaucoma Primário de Ângulo Fechado: este tipo de glaucoma aparece de maneira repentina e aguda. O paciente pode estar olhando para alguma tela (TV, computador, celular), quando percebe um brilho intenso e uma dor muito forte. Neste caso, é fundamental buscar ajuda médica imediatamente, pois a pressão ocular está muito alta e pode evoluir para cegueira em poucas horas.

- Glaucoma Congênito: considerada a forma mais rara de glaucoma, acomete os recém-nascidos.

- Glaucoma Secundário: é decorrente de enfermidades como diabetes, uveítes e cataratas.

Sintomas

Na maioria dos casos, o glaucoma é assintomático, só apresentando sintomas quando a doença já está em estágio avançado. Em casos de glaucoma agudo, pode ocorrer dor intensa.

Entre os sintomas do glaucoma destacam-se:

- Diminuição do campo de visão;
- Dor intensa no interior dos olhos;
- Visão turva e embaçada;
- Vermelhidão nos olhos;
- Lacrimejamento e sensibilidade excessiva à luz;
- Aumento da pupila ou tamanho dos olhos;
- Dores de cabeça, náuseas e vômitos;
- Dificuldade em enxergar em ambientes pouco iluminados;
- Visão de arcos em volta das cores.

Diagnóstico e fatores de risco

O diagnóstico do glaucoma se dá com visitas frequentes ao oftalmologista, que realizará exames para medir a pressão intraocular acima da média e alterações no nervo ótico, perceptíveis no exame de fundo de olho.

Entre os fatores de risco para glaucoma destacam-se:

- Histórico familiar da doença;
- Traumas oculares;
- Miopia e hipermetropia;
- Uso constante de colírios à base de corticoides;
- Atividades que podem aumentar a pressão intraocular;
- Idade (o glaucoma é mais comum em pessoas com mais de 40 anos);
- Cor/etnia (negros e asiáticos têm maior probabilidade de desenvolver glaucoma).

Tratamento

Apesar de não ter cura, o glaucoma tem tratamento. Inicialmente, o tratamento do glaucoma é clínico e à base de colírios. Em casos raros, são usados medicamentos via oral.

Existem casos de glaucoma que são associados a outras doenças e distúrbios, assim, faz-se necessário tratar esses para diminuição da pressão intraocular.

Em casos de glaucoma crônico, é necessário que o paciente use colírios por toda a vida a partir do diagnóstico.

Copyright © Bibliomed, Inc. 26 de maio de 2021.