Publicidade

Notícias de saúde

Dormir pouco está associado a maior produção de urina

13 de setembro de 2007 (Bibliomed). Para que o nosso organismo funcione adequadamente é necessário que ao dormir, tenhamos um menor taxa de estímulos. Isso é de fundamental importância para a reestruturação de nossas energias e para um rearranjo das informações cerebrais.

De forma a se estabelecer um período de descanso, nosso corpo, durante o sono, produz uma menor quantidade de urina, assim como diminui a pressão arterial e retarda as ondas cerebrais. Mas o quê acontece quando se passa uma noite em claro?

Pesquisadores do Hospital Universitário de Aarhus, na Dinamarca, realizaram um estudo para comprovar os efeitos de ficar acordado sobre a produção de urina. Os resultados foram apresentados no no American Physiological Society Conference que ocorreu em Austin, Texas, em agosto deste ano.

Vinte jovens, entre homens e mulheres participaram da pesquisa. Eles foram observados durante duas noites. Em uma delas, eles teriam a permissão para dormir e, na outra, teriam que permanecer acordados.

Os investigadores observaram que na noite em que os participantes não puderam dormir a taxa de produção de urina foi maior, tanto para os homens quanto para as mulheres, mas esse efeito foi mais pronunciado nos indivíduos do sexo masculino.

Os achados, portanto, demonstram que o não período de repouso à noite faz com que o organismo permaneça sob estímulos constantes, refletindo, entre outras alterações, na maior produção urinária. Por isso, não se assuste se, ao passar uma noite em claro, deparar-se com o fato de ir mais vezes ao toalete.

Fonte: American Physiological Society Conference Sex and Gender in Cardiovascular-Renal Physiology and Pathophysiology, Austin, Texas, Aug. 9-12, 2007.

Copyright © 2007 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: