Publicidade

Notícias de saúde

Qualidade de sono de mulheres na pós-menopausa melhora com uso de progesterona

Belo Horizonte, 21 de Janeiro de 2002 (Bibliomed). Uma pesquisa divulgada recentemente pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) constatou que o hormônio progesterona tem efeito relaxante sobre o sono das mulheres na pós-menopausa. A má qualidade do sono é uma das maiores queixas das mulheres na pós-menopausa e os sintomas costumam ser eliminados pelo tratamento de reposição hormonal que, normalmente, é feito com o uso de estrógeno e progesterona.

A pesquisa partiu desse princípio e a conclusão de que o milagre é da progestorona foi feita depois que os pesquisadores avaliaram 33 mulheres com idade entre 50 e 65 anos. O estudo foi dividido em duas fases e as mulheres em dois grupos. Na primeira fase da pesquisa 14 mulheres do grupo 1 receberam estrógeno e outras 19 do grupo 2 tomaram placebo. Na Segunda fase, a progesterona foi acrescentada ao tratamento dos dois grupos.

Assim, na segunda fase, as mulheres do grupo 1 passaram a tomar estrógeno e progesterona e as do grupo 2, placebo e progesterona.

Segundo a pesquisadora Helena Hachul de Campos, a progesterona foi responsável pela redução da chamada síndrome das pernas inquietas, um distúrbio do sono em que a pessoa tem seguidos movimentos involuntários dos membros inferiores enquanto dorme. A influência do hormônio, neste caso, foi comprovada por polissonografia, exame que registra tudo o que ocorre durante o sono do paciente.

Ter até cinco movimentos involuntários de pernas durante uma hora de sono é uma reação considerada normal. Das mulheres que participaram da pesquisa, entretanto, 45% tinham mais de cinco desses movimentos. Segundo a pesquisadora, o tratamento com a progesterona fez o número de movimentos de pernas cair para um ou três por hora.

Outro distúrbio do sono que foi detectado nas mulheres pesquisadas foi o bruxismo, que nada mais é do que um ranger de dentes durante o sono. As quatro mulheres que apresentaram esse problema tiveram melhora depois de tomar progesterona.

A pesquisadora acredita que a progesterona tenha ação relaxante sobre o organismo já que os dois distúrbios estão relacionados à contração muscular. Entretanto, ela afirma que as hipóteses ainda devem ser confirmadas por novos estudos.

O uso da progesterona também melhorou a memória das mulheres avaliadas. Cerca de 61% das mulheres do grupo 2, que tomaram apenas placebo e progesterona, tinham perda de memória. Depois de tomar a progesterona, essa porcentagem caiu para 47%.

Os efeitos dos hormônios na qualidade do sono continuarão a ser pesquisados e quem quiser entrar em contato com a pesquisadora pode enviar e-mails para: hmcampo@sintertrim.com.br

Copyright © 2002 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: