Pedra nos rins aumenta chances de desenvolver doenças cardiovasculares

Comentar

Bem estar Medicina Saúde da família

Cerca de 5 a 12% da população brasileira sofre com litíase renal, doença popularmente conhecida como cálculo renal (ou pedra nos rins) e causada pela cristalização de sais minerais presentes na urina. Sua incidência tem crescido em todo o mundo e, embora seja comum em ambos os sexos e todas as faixas etárias, os homens são mais acometidos (entre os 20 e 40 anos de idade).

Estudos recentes sobre o tema revelam possível relação entre o cálculo renal e os distúrbios do sistema cardiovascular. Alguns resultados desses estudos foram apresentados no Congresso Brasileiro de Nefrologia, realizado no final de setembro. As pesquisas demonstraram que o cálculo renal pode estar associado ao desenvolvimento de doenças crônicas extremamente frequentes, como os distúrbios do sistema cardiovascular (infarto agudo do miocárdio e derrames) e outras doenças, como a hipertensão arterial, o diabetes, a síndrome metabólica e a insuficiência renal crônica, que pode levar a perda dos rins.

A alta taxa de recorrência da doença (de 80% a 100%) e a história familiar foram identificadas em 50% dos casos analisados. Além desses fatores de risco, as pesquisas apontaram que a elevação da temperatura ambiental pelo fenômeno de aquecimento global também contribui para a maior prevalência de formação de cálculos renais.

E, segundo especialistas, o cuidado deve ser redobrado no verão. Nessa época do ano a incidência da doença aumenta em média 20%, tudo porque as altas temperaturas influenciam no aumento da transpiração e, nem sempre, é feita a reposição de água adequada para compensar a perda de líquido no organismo. Consequentemente, a urina fica mais concentrada e as substâncias que normalmente são excretadas acabam retidas, formando as pedras.

Não espere o verão para rever seus hábitos alimentares e a ingestão de líquidos na sua rotina. Procure também orientação médica para os casos que necessitam de  tratamento clínico.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Sociedade Brasileira de Nefrologia. Release dezembro de 2014.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>