Publicidade

Artigos de saúde

Transtorno bipolar – tratamento psicológico e recomendações

© Equipe Editorial Bibliomed

Neste Artigo:

- Qual o papel da terapia cognitivo-comportamental no tratamento do transtorno bipolar?
- Método da Monitoração do Humor
- No que consiste a terapia familiar?
-
Quais mudanças no estilo de vida são recomendadas para os pacientes com transtorno bipolar?

O transtorno bipolar resulta de distúrbios na função dos neurotransmissores cerebrais, e a psicoterapia clássica não mostrou benefício no tratamento dessa doença, nos trabalhos já publicados. No entanto, novas abordagens têm provado sua eficácia. Além disso, os especialistas em saúde mental devem fornecer apoio psicológico adequado aos pacientes, pois isso é essencial no tratamento dos mesmos, em todas as fases da doença.

  • Fornecimento de informações ao paciente sobre a sua doença e as opções de tratamento, ajudando-os a seguir o tratamento adequadamente;
  • Os profissionais têm papel importante em ajudar o paciente a se ajustar à realidade da doença, entendendo as conseqüências de cada fase, mania e depressão;
  • Fornecem apoio aos pacientes com relação aos seus sentimentos de culpa e remorso, que costumam se seguir aos episódios de mania;
  • É importante a monitoração do paciente, de forma a intervir mais precocemente, no início da crise. Isso reduz a gravidade da mesma;
  • Ajudam também o paciente a lidar com sentimentos de imperfeição e desespero, ao compreenderem melhor sua doença.

Qual o papel da terapia cognitivo-comportamental no tratamento do transtorno bipolar?

A terapia cognitivo comportamental é um método estruturado, que ajuda o paciente a reconhecer seus pensamentos negativos e seus padrões de comportamento e a modificá-los. Em muitos pacientes, esse tipo de terapia pode ser benéfico. Sabe-se também que a terapia cognitivo-comportamental é útil no tratamento de outros transtornos do humor, como a depressão e a ansiedade, e os estudos vêm mostrando que pode ser benéfica também no tratamento do transtorno bipolar. Nesses pacientes, os objetivos da terapia cognitivo-comportamental são: (1) aprender a reconhecer os episódios de mania, antes que eles atinjam o máximo de intensidade e a mudar o comportamento durante a crise; (2) aprender como tolerar o episódio depressivo, desenvolvendo comportamentos e pensamentos que ajudam a neutralizar o humor negativo.

Método da Monitoração do Humor

Essa técnica é bastante útil para ajudar o paciente a reconhecer uma crise que está para começar. Consiste na anotação em um gráfico ou diário, dos efeitos do estado mental do paciente em seu nível de energia e atividade física, graduando esses registros.

O preenchimento do gráfico requer os seguintes passos:

  • Utilizando um diário, o paciente descreve a cada dia o seu humor e seus efeitos nas atividades realizadas;
  • De posse dessa informação, o paciente faz uma marca na escala, que representa o humor de cada dia e seus efeitos. Cada marca deve ser conectada à marca anterior, com uma linha;
  • Além disso, devem ser descritos todos os eventos emocionais ou físicos significativos, a ocorrência de menstruações, uso de medicamentos e sua dosagem, qualquer outro fator que possa afetar o humor ou a realização das atividades diárias;
  • Após alguns meses, o terapeuta e o paciente vão ser capazes de detectar um padrão e identificar possíveis fatores desencadeantes de crises de transtorno bipolar;
  • Essas informações são muito úteis, e ajudam o paciente a fazer ajustes que permitem reduzir a gravidade das variações do humor.

No que consiste a terapia familiar?

O envolvimento dos familiares e dos parceiros é de extrema importância no tratamento dos pacientes com transtorno bipolar. A terapia cognitivo-comportamental também é útil, já que auxilia na aceitação da doença e da necessidade do uso de medicamentos, bem como ensina aos pacientes como proteger-se e precaver-se dos danos financeiros que podem advir dos episódios de mania. Estudos mostram que, quando o(a) companheiro(a) está envolvido no tratamento, a chance de seguimento da terapia proposta é maior.

Algumas recomendações para o apoio ao paciente:

  • Inicialmente, deve ser estabelecido um pacto entre a família e o paciente, com o objetivo de identificar os passos a serem seguidos para manter a estabilidade emocional. Caso essas medidas falhem, ambas as partes devem estar de acordo para adotar as medidas necessárias durante a crise, como a hospitalização, por exemplo;
  • Deve-se criar um senso de apoio forte, pois esses pacientes apresentam risco aumentado de suicídio;
  • Deve-se conseguir que o paciente siga o tratamento, mesmo que seja necessário ameaçá-lo com a hospitalização;
  • Não se deve sentir culpa e nem fazer com que o paciente sinta culpa, já que a doença não se deve a algum erro de alguma pessoa.

Importante ressaltar que os familiares e companheiros devem receber um suporte adequado do profissional de saúde mental, já que eles podem também desenvolver algum grau de depressão. Deve ser encorajada a realização de atividades que reduzam o estresse, como:

  • Meditação;
  • Técnicas de relaxamento;
  • Prática regular de atividade física;
  • Passar alguns períodos (feriados) longe do paciente;
  • Prática de atividades prazerosas;
  • Envolvimento em grupos de apoio.

Quais mudanças no estilo de vida são recomendadas para os pacientes com transtorno bipolar?

1) Sono

A manutenção de um bom padrão de sono é extremamente importante nos pacientes com transtorno bipolar. Estudos têm mostrado que o uso de técnicas para a obtenção de boa qualidade de sono ajuda a reduzir as variações do humor.

2) Dieta

Recomenda-se manter uma dieta saudável, pobre em gorduras saturadas e rica em grãos, frutas e vegetais frescos, da mesma forma que o indicado para todas as pessoas. No caso de uso de medicamentos que se associam a aumento do peso corporal, pode ser necessário restringir a quantidade de calorias ingeridas.

Alguns estudos mostram que o consumo de ácidos graxos ômega-3, encontrados em óleos de peixe, pode ajudar a reduzir os sintomas de diversas doenças psiquiátricas, incluindo o transtorno bipolar. Alguns estudos em andamento estão avaliando o emprego de cápsulas contendo compostos de ácido eicosapentanóico e docosahexanóico, principalmente nos pacientes que não responderam a outras terapias. Outro agente sob investigação é o inositol, um componente do grupo das vitaminas do complexo B, o qual parece ter efeito benéfico no tratamento da depressão.

3) Atividade Física

A prática regular de atividade física é parte fundamental no tratamento desses pacientes, principalmente para evitar-se o ganho excessivo de peso. Além disso, ajuda o paciente a manter uma sensação de bem-estar.

Copyright © 2008 Bibliomed, Inc.                                            20 de Fevereiro de 2008



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: