Notícias de saúde

Uso de cannabis para controlar os sintomas da menopausa é cada vez mais comum

20 de outubro de 2020 (Bibliomed). Mais mulheres estão usando cannabis ou querem começar a fazê-lo para controlar alguns sintomas da menopausa, de acordo com um estudo apresentado durante a Reunião Anual Virtual 2020 da Sociedade Norte-Americana de Menopausa.

Aproximadamente uma em cada quatro mulheres em uma pesquisa relatou que tinha usado ou atualmente estava usando cannabis para controlar sua menopausa, enquanto menos do que uma em cada cinco que indicou estar fazendo tratamentos mais tradicionais, como a terapia hormonal.

Cinquenta e quatro por cento das mulheres entrevistadas disseram ter experimentado ondas de calor e suores noturnos, enquanto 69% relataram sintomas geniturinários e 27% disseram ter insônia resultante da menopausa.

A cannabis vem sendo usada para fins medicinais por milhões de pessoas para controlar várias condições crônicas de saúde e sintomas de humor, incluindo dor e ansiedade. Apesar de ser considera ilegal em vários países, alguns estão abrandando as leis sobre o uso do composto THC (o ingrediente ativo da maconha) para fins medicinais.

Para este estudo, os pesquisadores entrevistaram 232 mulheres - a maioria das quais estava na casa dos 50 anos - no norte da Califórnia, que participaram da Midlife Women Veterans Health Survey. Cerca de 27% das entrevistadas disseram que usaram cannabis para controlar os sintomas da menopausa, incluindo ondas de calor e suores noturnos.

Um adicional de 10% das participantes expressou interesse em experimentar cannabis para controlar seus sintomas no futuro, enquanto 19% disseram que estavam usando terapia hormonal, a abordagem mais comumente recomendada para controlar os sintomas da menopausa. O uso de cannabis não diferiu por idade, raça ou etnia, status socioeconômico ou condições de saúde mental.

Fonte: 2020 Virtual Annual Meeting of the North American Menopause Society. October 5-9, 2020.

Copyright © 2020 Bibliomed, Inc.

Copyright © 2020 Bibliomed, Inc.

Veja também

Faça o seu comentário
Comentários