Notícias de saúde

Crianças pequenas têm quantidades maiores de RNA do SARS-CoV-2

25 de agosto de 2020 (Bibliomed). As crianças são suscetíveis à infecção pelo coronavírus 2 da síndrome respiratória aguda grave (SARS-CoV-2), mas geralmente apresentam sintomas leves em comparação com os adultos. Por outro lado, as crianças causam a disseminação de doenças respiratórias e gastrointestinais na população, mas dados sobre crianças como fontes de propagação de SARS-CoV-2 são escassos.

Os primeiros relatórios não encontraram evidências fortes de crianças como os principais contribuintes para a disseminação do SARS-CoV-2, mas o fechamento das escolas no início de respostas a pandemia frustrou investigações em larga escala das escolas como fonte de transmissão da comunidade. Como os sistemas de saúde pública buscam reabrir as escolas e as creches, é importante entender o potencial de transmissão em crianças para orientar as medidas de saúde pública. Em um novo estudo publicado em JAMA Pediatrics, os autores relatam que a replicação do SARS-CoV-2 em crianças mais velhas leva a níveis semelhantes de ácido nucleico viral que os adultos, mas quantidades significativamente maiores de ácido nucleico viral são detectadas em crianças menores de 5 anos.

Os pesquisadores, do Hospital Infantil Ann & Robert H. Lurie, em Chicago, e seus colegas compararam três grupos de pacientes com doença leve a moderada dentro de uma semana após o início dos sintomas que apresentaram resultado positivo para SARS- CoV-2: 46 crianças pequenas (menores de 5 anos), 51 crianças mais velhas (5 a 17 anos) e 48 adultos (18 a 65 anos). Os valores do limiar (TC) do ciclo de amplificação da reação em cadeia da polimerase foram registrados; valores mais baixos indicaram maiores quantidades de ácido nucleico viral.

Os pesquisadores descobriram que os valores medianos de TC foram semelhantes para crianças mais velhas e adultos (11,1 e 11,0, respectivamente), enquanto os valores foram menores para crianças pequenas. Essas diferenças aproximam uma quantidade 10 a 100 vezes maior de SARS-CoV-2 no trato respiratório superior de crianças pequenas. Na coorte geral e em cada subgrupo, houve uma correlação muito fraca entre a duração dos sintomas e TC.

Assim, segundo os autores, as crianças pequenas poderiam ser potencialmente importantes impulsionadores da disseminação da SARS-CoV-2 na população em geral, como foi demonstrado com o vírus sincicial respiratório, onde crianças com altas cargas virais têm maior probabilidade de transmitir.

Fonte: JAMA Pediatrics. DOI: 10.1001/jamapediatrics.2020.3651.

Copyright © 2020 Bibliomed, Inc.

Copyright © 2020 Bibliomed, Inc.

Veja também

Faça o seu comentário
Comentários