Folhetos de saúde

Intertrigo

© Equipe Editorial Bibliomed

1. O que é o  intertrigo?

Intertrigo é uma inflamação, crônica ou aguda, da região de dobras – região intertriginosas, daí o nome.

2. Quais as áreas em que normalmente se observam as lesões do intertrigo?

As regiões mais comumente afetadas são as dobras do pescoço, axilas, região da virilha e embaixo das mamas, ou seja, áreas em que ocorre superposição de pele.

3. O quê causa o intertrigo?

O intertrigo é causado pela fricção da pele, junto ao calor e suor, levando ao surgimento de suas lesões. Essa condição favorece o desenvolvimento de infecção por outros agentes como fungos ou bactérias. Na criança que usa fraldas, o intertrigo é ocasionado pelo contato e maceração da pele da região com fezes e urina (é o que chamamos de dermatite de fraldas ou dermatite amoniacal, popularmente conhecida como “assadura”).

4. Quais são os sintomas do intertrigo?

O intertrigo tipicamente apresenta-se como uma região avermelhada, inflamada, como uma descamação leve, podendo haver a formação de erosões, crostas, exsudação (saída de líquido nas lesões), coceira ou queimação nas regiões de dobras.

5. Quais os fatores que facilitam o aparecimento de intertrigo?

Os fatores que facilitam o desenvolvimento de intertrigo são:

  1. Calor;
  2. Umidade;
  3. Obesidade;
  4. Suor excessivo;
  5. Falta de higiene;
  6. Diabetes;
  7. Exercícios físicos.

 6. Qual é o tratamento para o intertrigo?

Em primeiro lugar: medidas de higiene local, de preferência com sabões neutros. Deve-se tentar evitar os fatores que predispõem o seu aparecimento, utilizando roupas largas, de tecido de algodão, evitando náilon ou poliéster, pois vestimentas feitas com esses tecidos permitem o contato contínuo da pele com o suor. As regiões nas quais ocorre o atrito constante da pele devem ser mantidas secas a maior parte do tempo. Quando não ocorreu infecção e apenas é observado o vermelhidão (eritema), apenas pós secantes/ anti-sépticos já são suficientes. Se não houver melhora, corticóides podem ser empregados. Se ocorrer infecção por Candida ou bactérias, deve-se realizar tratamento específico. Consulte sempre seu médico.

Fonte:

SAMPAIO, S.A.P.; RIVITI, E. A. Afecções das regiões anal, genital, perineal e inguinal in: SAMPAIO, S.A.P.;RIVITI, E. A. Dermatologia. 2° ed, São Paulo, ARTES MÉDICAS, 2001.

SILVA, C.M.R.; VIANA, M.R.A . Dermatoses mais comuns nas crianças e adolescentes in: ALVES, C. R. L.; VIANA, M.R.A . Saúde da família: cuidando de crianças e adolescentes. Belo Horizonte, Coopmed, 2003.

 

Veja também