Publicidade

Notícias de saúde

Crianças deficientes ainda são marginalizadas

06 de dezembro de 2011 (Bibliomed). Segundo Dan Goodley e Dra. Katherine Runswick-Cole, professores responsáveis pela pesquisa, as crianças com deficiência muitas vezes experimentam exclusão, discriminação e até violência.

"As maiores barreiras que essas crianças encontram são as atitudes de outras pessoas e as formas de discriminação institucionais generalizadas”, dizem os autores. "As crianças com deficiência raramente são autorizados a jogar e agir como as outras crianças por causa de preocupações por parte dos responsáveis com sua integridade e controle corporal. Mas nosso estudo mostra que muitas dessas crianças têm reservas inexploradas de potencial e aspirações elevadas, que pode ser cumprida quando suas famílias recebem apoio efetivo", explicam.

Os resultados, baseados em uma série de entrevistas com crianças deficientes e suas famílias, revelam inúmeras barreiras, entre as quais a forma como a criança é vista pelo profissional da educação como “carentes”; a exclusão de círculos sociais; as lacunas existentes na prestação de apoio médico e psicológico; as dificuldades de acesso ao transporte público em momentos de lazer e esporte; limitação na participação em atividades artísticas e culturais; atitudes discriminativas por parte das demais crianças (bullying) e problemas financeiros das famílias.

Fonte: UPI, 05 de dezembro de 2011

Copyright © 2011 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: