Publicidade

Notícias de saúde

Aumento do IMC prejudica a diminuição da taxa mortalidade nos Estados Unidos

21 de fevereiro de 2018 (Bibliomed). A melhoria na taxa de mortalidade nos Estados Unidos tem sido prejudicada pelo aumento do índice de massa corporal (IMC), de acordo com um estudo publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences.

Pesquisadores da Universidade da Pensilvânia examinaram a medida em que o aumento do IMC contabiliza reduções na taxa de mortalidade usando dados das coortes do National Health and Nutrition Examination Survey, e a mortalidade relacionada em arquivos médicos. Os modelos que comparam as tendências da mortalidade na presença e a ausência de ajuste para o IMC máximo de vida útil (IMC máximo) foram utilizados para estimar o papel do IMC.

Os pesquisadores descobriram que a adição de IMC máximo em um modelo de controle de idade e sexo aumentou a queda na taxa anual de mortalidade em 0,54 por cento. Os resultados persistiram com a inclusão de outras variáveis, diferenças na mensuração do IMC máximo e métodos de avaliação de tendências.

Relativamente às tendências internacionais de mortalidade e aos futuros de mortalidade alternativa simulados pela Administração da Segurança Social, o efeito do aumento do IMC máximo foi grande. No período de 1988 a 2011, estima-se que o aumento do IMC máximo tenha reduzido a expectativa de vida aos 40 anos de idade em 0,9 anos e representando 186 mil mortes em excesso em 2011.

Assim, o aumento dos níveis de IMC impediu os Estados Unidos de aproveitar todos os benefícios dos fatores que trabalham para melhorar a mortalidade.

Fonte: PNAS, Proceedings of the National Academy of Sciences. DOI: 10.1073/pnas.1716802115.

Copyright © 2018 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: