Publicidade

Notícias de saúde

Malária avança na Venezuela

31 de outubro de 2017 (Bibliomed). Três outras mortes por malária foram relatadas no Dr. Hospital Universitário Luis Razetti 'de Barcelona, na Venezuela, na última semana, totalizando a soma de 15 pessoas que morreram desta doença até agora este ano no estado de Anzoátegui.

"É preocupante que haja casos autóctones na região e os planos de fumigação com estratégias de contato ainda não foram ativados", acrescentou. Ele assegurou que a gestão do Instituto de Saúde do estado de Anzoátegui (SALUDANZ) esconde os números reais de casos positivos na entidade, que em sua opinião resultou na alocação limitada de tratamento e, portanto, em dezenas de pacientes em risco por falta de fármacos. Omaña disse que tinha informações de que até a semana passada mais de 10 mil casos de malária foram relatados no estado.

Ele disse que casos de malária foram observados por Plasmodium vivax e P. falciparum, o último mais agressivo. Ambos causam uma diminuição no fluxo sanguíneo e possíveis infartos cerebrais em pacientes com complicações.

Entre os mortos havia duas parturientes. Os profissionais do hospital tem relatado que pacientes com malária receberam prescrição de remédios caseiros, e advertiram que isso não mata o parasita. Mais de 150 pacientes estão aguardando tratamento para a malária.

Funcionários do Colégio de Médicos estimaram que 500 mil casos de malária poderiam ser relatados este ano no estado de Anzoátegui e explicaram que, para atacar o vetor, é necessária a ativação precoce dos planos de fumigação do governo. No estado de Anzoátegui não havia focos endêmicos de malária desde 1930. No entanto, a má aplicação dos planos de saúde no estado gerou a propagação da infecção, que pode vir a ser ainda mais agravada.

Fonte: Reporte Epidemiológico de Córdoba. # 11976. 11/10/2017

Copyright © 2017 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: