Publicidade

Notícias de saúde

Após infarto, prescrição de medicamentos contra tabagismo ainda é baixa

16 de agosto de 2017 (Bibliomed). Pesquisadores da Duke University em Durham, N.C., e colegas examinaram os fatores associados ao uso precoce de medicamentos para cessação do tabagismo (SCMs) entre pacientes com infarto do miocárdio (IM), do Acute Coronary Treatment and Intervention Outcomes Network Registry. A bupropiona e a vareniclina foram incluídas no estudo SCM.

Os pesquisadores descobriram que 97% dos 9.193 pacientes que fumavam com IM receberam conselhos para cessação do tabagismo durante a hospitalização e 7.0% tinham usado SCM precocemente. De 2007 a 2013 houve uma diminuição no uso de vareniclina (12,6 a 2,2%), enquanto o uso de bupropiona permaneceu baixo (2,5% em 2007 e 3,2% em 2013). As durações medianas de uso foram de 6,2 e 4,3 semanas para o uso de bupropiona e vareniclina, respectivamente, com apenas 36,7 e 19,7%, respectivamente, preenchendo prescrições para o curso recomendado de 12 semanas.

O uso de medicamentos para cessação do tabagismo aumentou para 9,4% dentro de um ano após a alta. Antes do índice IM, 3,0% dos pacientes estavam seguindo uma prescrição para SCMs; esses pacientes, que haviam recebido a prescrição, utilizaram mais vezes SCM no período de um ano após o IM (64,1 versus 7,7%).

Portanto, o uso de medicamentos para cessação do tabagismo (SCMs) é baixo após o infarto do miocárdio (IM). Os resultados do estudo sugerem a necessidade de palavras (as taxas de aconselhamento para a cessação do tabagismo são altas) a serem seguidas por alguma ação (as taxas de uso de SCM poderiam ser maiores).

O estudo foi publicado na revista JAMA Cardiology.

Fonte: JAMA Cardiol. Published online July 19, 2017. DOI:10.1001/jamacardio.2017.2369

Copyright © 2017 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: