Publicidade

Notícias de saúde

Obesidade materna sem doença crônica aumenta o risco de um nascimento prematuro

27 de abril de 2017 (Bibliomed). Um maior índice de massa corporal pré-gravidez (IMC) está associado ao aumento do risco de parto prematuro na ausência de doenças crônicas, de acordo com um estudo publicado recentemente na revista BJOG: An International Journal of Obstetrics & Gynaecology.

Pesquisadores americanos avaliaram a associação entre o IMC antes da gravidez e o risco de parto prematuro usando dados do Consórcio sobre Trabalho Seguro (2002 a 2008) em mulheres com IMC pré-gravidez ≥ 18,5 kg/m², e sem doenças crônicas.

Os pesquisadores descobriram que o risco relativo de parto prematuro espontâneo estava aumentado para prematuridade extrema entre os nulíparas (mulheres que não haviam tido filhos anteriormente) com sobrepeso, obesidade classe I (e obesos classe II/III). No entanto, o risco estava diminuído para o parto prematuro de moderado a tardio entre multíparas (aquelas que já haviam tido filhos) com sobrepeso e classe II/III. O risco de parto prematuro aumentou com o IMC antes da gestação gestacional.

O estudo concluiu que o IMC antes da gestação foi associado com maior risco de parto prematuro, mesmo na ausência de doenças crônicas, mas a associação foi heterogênea por categorias pré-termo, idade gestacional e paridade.

Fonte: BJOG 2017; DOI: 10.1111/1471-0528.14613.

Copyright © 2017 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: