Publicidade

Notícias de saúde

Eutanásia para distúrbios psiquiátricos é estudada na Holanda

21 de março de 2016 (Bibliomed). Os pacientes que receberam a eutanásia ou o suicídio assistido (EAS) para transtornos psiquiátricos são principalmente mulheres,  e a maioria são portadores de condições crônicas graves, de acordo com um estudo publicado on-line em 10 de fevereiro de 2016 no periódico JAMA Psychiatry.

Investigadores do National Institutes of Health em Bethesda, Md., descreveram as características dos pacientes que receberam EAS para condições psiquiátricas. Os dados foram revistos para 66 casos de EAS psiquiátricos (70% mulheres) disponibilizados pelas comissões regionais de revisão de eutanásia holandesas.

Os pesquisadores descobriram que a maioria dos pacientes tinha condições crônicas graves, com histórico de tentativas de suicídio e hospitalizações psiquiátricas; a maioria tinha transtornos de personalidade e eram socialmente isolados ou solitários. O problema primário foi de transtornos depressivos, visto em 55% dos casos. Outras condições incluíram o estresse pós-traumático psicótico ou ansiedade, somatoforme, neurocognitiva, e os transtornos alimentares, bem como a dor prolongada e autismo. Quarenta e um por cento dos médicos que realizaram EAS eram psiquiatras. No geral, 27% dos pacientes receberam o procedimento a partir de um médico que era novo para eles, dos quais 14 eram médicos da clínica de eutanásia móvel End-of-Life. Havia divergências entre consultores em 24% dos casos.

Os autores concluíram que a prática da EAS para transtornos psiquiátricos envolve pacientes complicados e em sofrimento, cujos pedidos de EAS muitas vezes exigem julgamento médico considerável.

Fonte: JAMA Psychiatry. Published online February 10, 2016. doi:10.1001/jamapsychiatry.2015.2887

Copyright © 2016 Bibliomed, Inc.

Faça o seu comentário
Comentários


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: