Publicidade

Exames de rotina

Periodicamente seu médico solicita alguns exames para que possa fazer uma análise mais completa de seu quadro de saúde.

Neste especial, Boa Saúde lista alguns dos principais exames médicos com ilustrações e informações para ajudá-lo a entender melhor esses procedimentos de rotina.

Os exames estão classificados em ordem alfabética (navegue através das letras iniciais abaixo):

Cintilografia miocárdica de perfusão - (4.07.01.03-4 / 4.07.01.04-2 / 4.07.01.05-0 / 4.07.01.13-1 / 4.07.01.14-0 / 4.07.01.06-9 / 4.07.01.08-5 / 4.07.01.07-7)

O que é o exame: injeção intravenosa de isótopo radioativo e detecção da radiação por aparelhos de câmara gama, com formação de imagem do miocárdio. O isótopo (tálio-201 ou tecnécio-99m) se concentra no miocárdio em proporção ao fluxo sanguíneo.

Para que serve: avaliar a presença de doença arterial coronariana (DAC) e auxiliar na condução destes pacientes, avaliar o sucesso de cirurgias de revascularização e diferenciar pré-operatoriamente áreas de cicatriz miocárdica de áreas de miocárdio viável.

Contraindicações: gravidez, hipersensibilidade à adenosina ou dobutamina, bloqueio átrio-ventricular de 2º ou 3º grau, asma ou DPOC, hipotensão (PA < 90 mmHg), síndrome coronariana aguda sem definição clínica clara, insuficiência cardíaca descompensada, uso de dipiridamol nas últimas 24h ou de xantina nas últimas 12h, glaucoma, hipocalemia.

Preparo do paciente: beta-bloqueadores e antagonistas dos canais de cálcio devem ser suspensos 48h antes do teste, caso se planeje adicionar estresse por esforço físico ou dobutamina. Xantinas e dipiridamol devem ser suspensos 24h antes do estresse por adenosina, e alimentos e fármacos contendo cafeína devem ser evitados.

Procedimento: o estudo de estresse em geral é realizado primeiro, uma vez que, sendo normal, não existe necessidade de adquirir imagens de repouso. O radioisótopo é injetado no ponto máximo de estresse, de forma que a captação miocárdica do marcador reflita o fluxo sanguíneo máximo, otimizando a visualização de qualquer falha de perfusão.

O ritmo cardíaco e a pressão arterial devem ser medidos durante todo o período de estresse, observando-se no ECG evidências de alterações no segmento ST ou da onda T sugestivas de isquemia e arritmias. Para intensificar a imagem de redistribuição, particularmente na presença de déficits perfusionais, pode-se administrar nitrato sublingual, repetindo-se a injeção do radioisótopo e captando uma nova imagem uma hora mais tarde através da câmara gama.

Uma vez terminado o teste, as imagens de estresse e repouso são alinhadas cuidadosamente para comparação e avaliação dos déficits de perfusão miocárdica.

Riscos: exposição a radiação ionizante: o estresse físico ou farmacêutico podem induzir isquemia miocárdica grave, infarto e arritmias potencialmente graves. O teste deve ser interrompido se o paciente apresentar angina importante, elevação do segmento ST >0,1 mV sem ondas Q, queda da pressão arterial sistólica > 10 mmHg abaixo do basal, hipertensão severa (>250/115), cianose, palidez, vertigens ou quase-síncope.

Resultados: os déficits perfusionais são identificados como áreas de menor captação do marcador. Estas áreas podem ser avaliadas qualitativamente ou semi-quantitativamente. Esta última classificação expressa a captação miocárdica regional como uma porcentagem da captação máxima de acordo com a escala: <10% = Ausente; 10-29% = Redução severa; 30-49% = redução moderada; 50-69% = redução leve; e 70-100% = normal. Os déficits perfusionais também podem ser categorizados como reversíveis (presentes apenas na imagem de estresse) ou fixos (presentes na imagem de estresse e repouso). O tamanho dos ventrículos esquerdo e direito também pode ser determinado.

Vantagens: a cintilografia miocárdica é um teste prontamente disponível, não-invasivo e de baixo custo quando comparado à angiografia coronariana. Ao contrário da ressonância nuclear magnética, onde o número de planos de imagem pode ser limitado, a cintilografia oferece uma cobertura miocárdica ampla, além de oferecer informações diagnósticas e prognósticas acuradas.

Desvantagens: as técnicas de análise possuem acurácia limitada na vigência de doença trivascular, onde existe uma redução global da perfusão miocárdica. O estudo pode ser sub-ótimo caso o pico de estresse não seja atingido. A cintilografia possui uma má resolução espacial comparada com outras técnicas. Defeitos perfusionais limitados ao subendocárdio podem não ser visualizados. A qualidade da imagem pode ser afetada por movimentos do paciente e/ou artefatos (p.ex.: atenuação da imagem pelo tecido mamário).

Fontes:

- Manual de exames: Instituto de Patologia clinica Hermes Pardini 2003/2004

- A clínica e o laboratório - Alfonso Balcells Gorina, Medsi Editora 1996

- Henry: Clinical Diagnosis and Management by Laboratory Methods, 20th ed., 2001.

- Oxford Handbook of Clinical and Laboratory investigation, Drew Provan, 2nd Ed, 2005.

 


Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: