Lista de Links
  • BIbliomed Profissional da saúde? Conheça os lançamentos da Biblioteca Médica da Bibliomed BIbliomed Profissional da saúde? Conheça os lançamentos da Biblioteca Médica da Bibliomed
  • Boa Saúde Informação e atualização sobre saúde e qualidade de vida. Boa Saúde Informação e atualização sobre saúde e qualidade de vida.

De acordo com uma revisão de pesquisas desenvolvidas ao longo dos últimos vinte anos, pais que batem em seu filho podem estar causando efeitos duradouros e nocivos ao desenvolvimento da criança.

De acordo com a literatura médica analisada, pesquisadores encontraram ligações entre castigos físicos “usuais” (como a surra administrada após a criança ter feito algo errado) e níveis mais altos de abuso infantil. Os estudos indicam também que nenhum tipo de efeito duradouro positivo pode surgir a partir desse tipo de punição.

“Eu acho que é importante que os pais entendam que apesar de que o castigo físico possa fazer com que a criança faça algo na situação imediata, existem muitos efeitos colaterais que podem se desenvolver a logo prazo”, explica a coautora da revisão, Joan Durrant, da Universidade de Manitoba no Canadá. “Por exemplo, o quanto mais frequentemente uma criança ver um pai respondendo a conflitos ou frustração com tapas ou surras, o mais provável é que essa criança fará o mesmo quando confrontar os seus próprios conflitos”, completa.

A revisão foi publicada no periódico Canadian Medical Association Journal.

72 Responses para “Pais que batem no filho causam danos ao desenvolvimento da criança”

  • adilson cury disse:

    discordo totalmente dessa pesquisa ser utilizada em nosso pais (BRASIL) essa pesquisa foi desenvolvida ao longo de 20 anos mas onde?no CANADA vamos comparar a nossa vida social ao canada e outros paises? quem pensa dessa maneira esta totalmente equivocado as mentes as pessoas são iguais mas a base na criação faz a diferença la tem educação com suporte governamental la as coisas funcionam.

  • suerly gonçalves veloso disse:

    São tantos os ingredientes para formar pessoas hábeis que a surra fica em planos distantes. O problema não é a surra mas a forma que ela possa ser entendida ou recebida. Pais alcoólatras ou agressores por outros motivos sócios-econômicos podem ter responsabilidade numa serie de transtornos psíquicos e sociais futuros das crianças.
    “Se ficar em casa a mulher ralha, Se ficar na praia, O ciúme atrapalha, Aprisione a felicidade, Traz-nos a sua mortalha. Ninguém está na terra dos imortais, Está na terra da troca de olhares, Causando espanto aos seres vulgares, Disputando cada bem da pseudo-felicidade,..”
    “Se preferir, Da brevidade, Feitos pela mãe são pra entreter a criança cheia de vontade, Da galinha caipira, Bolo de banana, Se ainda preferir, pão de queijo, Mas não os atribuam à felicidade danada. A felicidade é o aluno sem chamada. Não estão nas coisas, Não sobem de escadas, Das janelas se podem apenas dar uma olhada, Nas portas, As entradas são bem guardadas, A felicidade espia, E dá uma gargalhada! Imagino-me eu passando por uma dessas casas, A garçonete me dando uma olhada, O segurança querendo saber quem seria o camarada, As arvores ventando como se não tivessem vendo nada, O silêncio me dizendo que ali existe alguma coisa errada. E existe. Ninguém está ai pra nada.”

  • suerly gonçalves veloso disse:

    Não justifique para mim.
    Se o homem ainda se justifica ainda não aprendeu o caminho. A justiça fica para os sistemas penais ou religiosos. Às vezes para o historia e estatísticas. Quando completara 60 anos uma revista me mandou a a publicação da semana de dez anos atrás do seu acervo digital, e pediu-me que descobrisse o que aconteceu de mais importante no Brasil e no mundo na semana que completara 50 anos.. Ali pude descobrir coisas importantes e raras. Era o ano 2000. No ano em que a minha filha nasceu um expert me dissera que tinha pela frente 7 anos de vacas gordas. Foi verdade. A minha filha nascera em 1994. Até os sete oito anos de idade pude conviver com ela como se fossem duas crianças. E passados os sete anos de vacas gordas, vieram-me mais sete de vacas magras. O filho somente convive com os pais até os oito anos de idade por aí. A partir daí se tornam escravos de um sistema de educação, com todas as atribulações oriundas da escola , quando o filho prefere o seu canto, quando tem oportunidade de descanso. Briguinhas. Comparações. Tarefas e decepções. O pai já não atende mais a sua nova busca de respostas para os desprazeres. Na seqüência, já com os 53 é que iniciara o chamado sete anos de vagas magras. Não em termos financeiros. Cedo meu irmão já descortinara que me tornaria uma adulto impetuoso e já me recomendara que aprendesse ganhar honestamente o suficiente para viver corretamente. Em novembro de 2003 fora surpreendido com grave doença.

  • Rafael disse:

    Olá, Ana.
    Gostaria de deixar minha opinião sobre meu caso, por exemplo: Sempre apanhei do meu pai quando fazia alguma coisa errada e cá estou eu, crescido e aprendido e ainda o amo.
    Existem muitos fatores envolvidos na educação da criança, por exemplo a liberdade que as mães dão aos filhos que é cortada quando os pais estão presentes. Falo como filho, pois não tenho nenhum.
    Porisso, concordo sim com uma boa surra em determinados casos.
    Abraços.

  • Fernando disse:

    Pesquisa mais imbecil que ja vi.

    Alguem morreu por receber castigo ou surra dos pais?
    mto pelo contrario, a falta de castigo é a causa dessa desgraça de falta de ordem e limites das crianças, jovens e adolescentes de hj em dia.
    SOU MTO GRATO A MEUS PAIS PELAS SURRAS QUE ME DERAM QUANDO EU MERECI, SE HJ SOU HOMEM DE BOA FORMAÇÃO, DEVO TUDO A ELES.
    Esses pedagogos ( lê-se: DEMAGOGOS) e esses que se intitulam doutores e mestres de educação, só chegaram onde estão devido as boas surras que levaram dos pais, caso contrario estariam é atras das grades.

  • Fátima Bentes disse:

    Não é o fato da criança levar umas palmadas que vai fazê-la, quando adulta, bater nos seus filhos. O ato de bater é inerente ao ser humano, como sorrir, chorar. Você pode nunca ter sido agredido pelos seus pais e no entanto sair batendo nas pessoas quando provocado e umas palmadinhas na hora certa não faz mal a ninguém, senão a própria bíblia, o próprio Deus, não nos orientaria a fazer isso. É o próprio Deus, que nos criou e sabe como é que funcionamos, que diz que devemos, sim, dar umas palmadinhas! Agressão é que está errado!

  • Cristina disse:

    Não concordo totalmente com a matéria… acredito que umas palmadas de vez em quando não fazem mal a ninguém… quando criança, aprontei muito e, quando apanhava, sabia o motivo. O fato de ter apanhado não me fez crescer revoltada ou problemática, e sim responsável.

  • Ângelo Costa disse:

    Interessante, tenho 28 anos e meu pai (principalmente)sempre me educou na base do respeito e me batia quando eu era terrivelmente mau educado. Hoje sou um homem formado, trabalhador, com grandes objetivos na vida e respeito meu pai pela figura que ele foi pra mim. Estou com transtornos por causa disso? a resposta é NÃO! acredito que os tais especialistas estão se preocupando mais em como receber sua bolsa da CAPES ou se manter na mídia com seus conselhos supérfluos do que fazerem seu real trabalho.

    Lamentável essa matéria.

  • João Batista disse:

    Pais que batem no filho causam danos ao desenvolvimento da criança. Para mim isto não valeu, apanhava muito por desobedecer meu pai e minha mãe, hoje eu agradeço a educação que tive, apanhava por merecer e também não criei os meus filhos betendo neles. “O mais provável é que essa criança fará o mesmo quando confrontar os seus próprios conflitos”, não serviu para mim.
    Hoje estão tirando o direito dos pais sobre seus filhos, e ninguém consegue perceber?

  • osmar costa disse:

    Apanhar dos pais na hora certa e na medida certa não causa nenhum problema na criança. Quando menino morava na roça e fazia tudo quanto é tipo de arte. Quando descobria, meu pai me batia e repreendia e não foram poucas as vêzez que levei umas coças de vara. Não me causou nenhum mal muito pelo contrário, me tornei um homem sério e responsável, tenho 4 filhos e 7 netos que me adoram tanto quanto adorei meus pais. Então…chinelo na molecada quando pisarem na bola.Vai lhes fazer muito bem.

  • Cintia disse:

    Uma boa pesquisa para acrescentar ao atual debate sobre castigo físico em crianças.

  • Rico disse:

    SÓ ISSO? E a consequente falta de AUTO ESTIMA, de AMOR-PRÓPRIO, AUTO CONFIANÇA? Uma criança que nasce e cresce num lar de amor, carinho e respeito, terá um respaldo para enfrentar a vida muito maior que uma pessoa flagelada pela violência.. O amor deixa felicidade, a agressão deixa marcas pela vida toda, depressão, falta de capacidade para lidar com os próprios sentimentos e com das outras pessoas e por aí vai.

  • Rico disse:

    E a consequente falta de AUTO ESTIMA, de AMOR-PRÓPRIO, AUTO CONFIANÇA? Uma criança que nasce e cresce num lar de amor, carinho e respeito, terá um respaldo para enfrentar a vida muito maior que uma pessoa flagelada pela violência.. O amor deixa felicidade, a agressão deixa marcas pela vida toda, depressão, falta de capacidade para lidar com os próprios sentimentos e com das outras pessoas e por aí vai.

  • Raphael Pontes disse:

    Sou a prova viva de que esse estudo não pode ser levado em conta. Apanhei, quando merecia, na minha infancia. E os castigos induzidos pelos meus pais produziram resultados extremamente satisfatórios: aprendi a não roubar, mentir, onerar o meu próximo. Nenhum dos resultados colaterais danoso atua na minha personalidade, nem na de colegas, amigos e parentes, que da mesma forma como eu, apanharam quando criança.

  • RUDBERTO disse:

    Isso é balela tenho 53 anos meus pais sempre deram umas palmadas ou cintadas nos 7 filhos que tiveram e todos cresceram e não tiveram problemas nenhum de desenvolvimento, hoje com essa estória pra boi dormir, vocês estão criando “monstros”, pois as crianças acham que pode fazer tudo já que não serão punidas. O mal da humanidade são os tais psicologos e outros bichos, que estão acabando com as familias.

  • Marco disse:

    Não vejo nenhuma validade nesta pesquisa, principalmente porque confunde um simples tapa, aquele tapa que é mais moral do que causa dor, a uma surra de quebrar ossos, se fizer uma pesquisa olhando por outro angulo, dos assassinos em corredor da morte, ou pessoas que cometem violência, ou até mesmo politicos que destroem o país.
    Veja se algum deles levou um tapa; e mesmo assim são o que são.
    Não confunda dar limites com abuso fisico, um castigo de deixar sem tv, ou sem sorvete, não é o mesmo que quebrar as duas pernas.
    Afinal saber que nem tudo lhe é permitido faz parte da vida.

  • Sílvia disse:

    Pais,que não disciplina seus filhos,não ensina limites..Certamente quem chorará serão os pais.(futuro)
    E infelizmente o futuro não demore tanto!!

  • Clara Souza disse:

    Isso é uma grande bobagem, agradeço a cada surra que levei de minha mãe, graças a isso hoje sou uma pessoa extremamente correta, ao contrário do que vemos hoje crianças xingando, e até batendo nos pais.
    Nosso país perdeu a noção do certo e errado, por isso o crescimento da criminalidade em todas as classes e faixas etárias.

  • janio disse:

    hunf… meus pais me criaram com todo amor e carinho, me deram estudo, me alimentaram, me deram uma otima educação, mas sempre que precisei, apanhei deles, e o fato de ter apanhado, não me tornou um monstro torturador amargurado, hoje sou casado, tenho dois filhos que amo demais, eles são tudo pra mim, mas quando se faz necessario bato neles, muita gente confunde bater com espancamento, bato nos meus filhos unicamente no bumbum, e somente em ultimo caso.

  • David disse:

    “A vara e a disciplina dão sabedoria, mas a criança entregue a sí mesma vem a envergonhar a sua mãe.” Provérbios de Salomão (Bíblia) cap. 29,vers.15.
    Será que é possível Deus errar? Se possível, então não será Deus. “Seja Deus verdadeiro e mentiroso todo homem.” Romanos 3:19.
    Não bastasse o fato de que o homem vive e revisar e mudar seus conceitos de pedagogia, estamos com uma sociedade cada vez mais deteriorada, justamente por falta de disciplina, por TOTAL falta de atenção a sabedoria perfeita de Deus.
    “O que retém a vara aborrece a seu filho, mas o que o ama, cedo o disciplina.” Provérbios 13:24.
    O que os pseudos psicólogos não entendem é que o castigo (vara) é também uma manifestação de AMOR.
    Tenho 52 anos e fui muitas vezes castigado com vara pelo meu pai e minha mãe. Nem por isso os odeio, ao contrário os amo e respeito demais por isso. O resultado disso é que sou um pai de família feliz, com uma esposa maravilhosa, por mais de 21 anos e dois filhos que nos amam e que também recebem disciplina.
    Resultado disso, nunca visitei uma delegacia para “tocar piano”. Quando muito, para registrar boletim de ocorrência por ter carro roubado.
    O pai e a mãe que usam a vara para disciplinar seus filhos, não vão vê-los atrás das grades.
    O que é melhor, usar a vara em casa, ou a sociedade “tentar” corrigi-los com torturas nos presídios?
    O que é mais sábio, dar ouvidos a terapeutas que vivem mudando de opinião e causando danos sérios a sociedade, ou dar ouvidos aos mandamentos de Deus, que não podem falhar e são imutáveis?
    Muito grato!
    David

  • leawaissmann disse:

    Nada de agressividade com crianças! Limites , respeito e muito amor!

  • JOÃO CARVALHO disse:

    É NÉ APANHEI TANTO NA MINHA INFANCIA E HJ TO AKI FIRME E FORTE E DESENVOLVIDO, AS CRIANÇAS DE HJ EM DIA SÃO FRESCURENTAS E MERECEM LEVAR UMA PORRADA PRA APRENDER A OBEDEÇER OS PAIS !!!!!!!

  • Rodrigo Oliveira disse:

    Cauda danos #%*#@#! nenhuma
    Oq causa danos sao as crianças q soltam pipas da varanda do ap da vovó, q so sabem jogar futebol atraves do PS, ganham td de bom e sao tratados como principes ….

  • jean disse:

    entender melhor

  • Marcio Barbosa disse:

    Não concordo com esses estudos e com a conclusão obtida. Os senhores misturam num unico pote os pais que agridem os filhos a ponto de machucá-los e muitas vezes requerendo hospitalização, com aqueles que ao estabelecer limites (que muitas vezes não são obedecidos com crianças que testam os pais) dão um tapa na bunda, ou puxam a orelha…
    Acho que o primeiro caso é caso de polícia e tem lei para isso, já no segundo é inferencia indevida nas decisões de educação dos pais e responsáveis. Os senhores deveriam ficar com suas conclusões a respeito para serem usadas em suas respectivas casas… Quero ver se ao recomendar isso os senhores irão socorrer os jovens sem limites que queimam indios, matam os pais, se drogam, bebem e matam ao volante e fazem todo tipo de barbaridades. Nunca tiveram limites e agora a vida vai cobrar deles de maneira MUITO mais agressiva do que as palmadas que faltaram…

  • SIDNEY disse:

    Tenho sessenta e dois anos, e minha educação e a de meus irmãos foi regida pela minha mãe com certa severidade e respeito aos mais velhos. Qdo. fazíamos algo errado , só pelo olhar de minha querida mãe, já entendíamos o que ela estava tentando dizer.Eu várias vêzes levei uma boas palmadas e nunca me revoltei contra isso, não me tornei um rapazinho problemático e também como homem mais maduro nunca tive problemas nocivos ou que vieram afetar minha personalidade e a de meus irmãos. Muito pelo contrário, agradeço as abençoadas palmadas que ela nos deu, pois hoje sou um homem, respeitador, bem educado e realizado,tanto moral como espiritualmente.
    SDS. – 12/02/2012

  • Márcio disse:

    Pais que não batem não educa. Por essas e outras é que o mundo anda cheio de desrrespeito por ai. Essas “estudiosas de comportamento politicamente corretas são umas frustradas, mau amadas e ficam tentando impor comportamentos aos outros, pq elas não vão para uma sala de aula da rede pública dar aulas e fazer suas pesquisas, queria ver o resultado!

  • william disse:

    Bobeira. Apanhei e não tive problemas no meu desenvolvimento.

  • Richard Bribean disse:

    Este é um tema complexo que deveria ser mais discutido e divulgado .
    Meu pai foi vitima de surras (no caso dele ,,,surras do tio por que seu pai tinha morrido qdo meu pai tinha 4 anos apenas)e ao invés de parar este processo , ele me aplicou surras imensas onde hoje em dia ele seria preso com certeza.
    Para que tenham uma ideia,,,aos meus 15 anos, simplesmente por que eu nao quis comer peixe ( que odeio) ele me deu um murro no queixo que eu varei uma cama de casal indo cair do outro lado.E o pior era a conivencia de minha mae que além de nao reagir a isso ainda transferia para mim a culpa da surra dizendo ” ta vendo o que vc provocou”
    Graças a Deus eu consegui parar esta aspiral pois só tive filhas mulheres e NUNCA encontei a mao em nenhuma delas.
    Mas creiam,,,,os efeitos de tudo isso hoje em dia,,,aos meus 54 anos ainda ecoam de maneira terrivel me provocando seríssimos problemas de autoestima e de vontade de morrer…… Creiam,,,isso é mais sério do que parece.
    Se alguem quiser trocar idéias comigo , meu mail é bribean@hotmail.com
    Obrigado
    Imté pro ceis
    Richard Bribean

  • vera divino disse:

    Esta é uma pesquisa importante, apesar da obviedade, filhos de pais agressivos são vítimas e muitas vezes acabam por reproduzir o abuso.
    Importante salientar que, a agressividade da criança pode estar associada a dificuldade dos pais em agir em parceria na educação dos filhos, muitas vezes tendo atitudes inconsistentes e dificuldade em impor limites à criança.
    Desta forma, a criança, sente-se um reizinho sem parâmetros, pois, sem querer, os pais alimentam a onipotencia infantil e não conseguem educar de forma consistente.
    A criança diante do exposto, tem dificuldades de lidar com frustrações e muitas vezes, quando não atendidas no seu desejo, acabam por reproduzir a agressividade recebida.
    Cada pai tem sua história e ajuda na construção da história do seu filho.
    Enfim, somos permeados por nossa historia, que se inicia na familia, lugar no qual circulam as fantasias, os sonhos, os ideais e principalmente os afetos.
    Pensando na agressividade,tema exposto,minha experiência pessoal e no atendimento a pais, revelam o seguinte:

    - Algumas vezes, os pais sofrem agressão familiar e acreditam que esta é a melhor forma de educar, pois consideram que isso os ajudou a crescer, não imaginando que seu filho é outra pessoa e que poderá ser abalado.
    - A agressividade dentro da família pode ser realizada de maneira impulsiva, sendo fruto da incosistência familiar.
    Os pais não tendo controle sobre suas emoções, diante das reações dos filhos os agridem.
    - Por último a agressividade pode ser fruto de uma patologia familiar, pais com problemas psiquiatricos, não tem noção da gravidade de seus atos.
    É importante salientar que, a agressividade também pode ser sentida pela “palavra” – como exemplo temos pais que falam ao filho: nao gostaria que você tivesse nascido.
    Tudo isto causa sofrimento e dor….”Dor física e psíquica e acarreta marcas na vida de cada um”
    Cabe a sociedade e família e a cada um de nós, preocupar-se com estas crianças, pois, o ambiente tem um impacto grande na formação da personalidade.
    Será que o mundo em que vivemos não é fruto destes fatores? Um mundo de muitos políticos psicopatas, familias desetruturadas, sexualidade desenfreada,….
    Enfim, é importante cada um se ver diante do exposto….e refletir sobre sua vida e agressividade inerente.

    “Uma criança necessita de estabilidade no lar e a família precisa de estabilidade social”
    Vera Lucia Divino _ Psicóloga clínica

  • Gustavo disse:

    Então, quando criança, eu aprontava e apanhava SIM dos meus pais, nada que machucasse, mas apanhava. Comecei a trabalhar com 14 anos e estudar a noite. NÃO ME TORNEI BANDIDO, DROGADO, VAGABUNDO, A TOA, e respeito meus pais até hoje e qualquer outra pessoa que seja superior a mim. Essa criançada de hoje, não pode apanhar, não pode ser xingada, não podem trabalhar, somente estudar, mas quem falou que elas estudam??? Desrespeitam professores, diretores, pais, amigos, e depois que crescem viram tudo isso que eu não virei! Então o que é o certo? Quando será que irão enxergar que as vezes é necessário para se obter respeito uma boa educação a base de umas palmadas? E conheço muita gente até mais velha do que eu que também passou pelo mesmo critério de educação que eu e são pessoas maravilhosas hoje. Tudo também vai de quando a criança se torna adolescente e tem o livre arbitrio para escolher o que quer não importando a educação que teve quando pequeno.

  • carlos lago disse:

    Discordo plenamente, estamos vivendo um período negro e até pensando em diminuir a idade penal justamente pq os pais não podem castigar seus filhos e assim imporem suas vontades e regras…eu por exemplo cresci em um mundo bizarro, onde as drogas me rodeavam e agradeço a minha mãe pelo que sou hoje justamente pelos castigos que me foram impostos e assim me afastaram do que é ruim.

    obs: dica, leia “a mãe tigre”. é justamente como as chinesas criam seus filhos (com rigidez) para a vida.

  • julio disse:

    engraçado, eu levava homéricas surras e sempre sabia que apanhava por ter dado motivos. Nunca fiquei mais chateado, ou chocado que as palavras proferidas pelos meus pais, em vez de as surras.
    Uma surra, uma palmada merecida, é esquecida, estou me referindo a castigo físico, e não espancamento.
    As pessoas confundem punição com espancamento.
    Uma palmada merecida, somente merecida tem um valor pedagógico.
    Espancamntos ou surras grátis, sem motivos, é que fazem a diferença.
    Tenho 3 filhos, e dois nunca apanharam porque não precisaram, o terceiro apanha sim porque precisa.
    E eu gostaria muito de deixar esse meu filho com as suas homéricas manhas, e manias, nas mão desses profissionais moderninhos, para que eles aprenderem alguma coisa a mais, por exemplo, um castigo é a única forma de educar uma criança mal educada e manhosa, por que daqui a algumas décadas, teremos uma sociedade em que não se terá limites nos abusos, psicopatas desenfreados que não foram educados no berço.
    Uma boa idéia seria colocálos para conviver com todos os acadêmicos criadores dessas teorias, para conviverem com suas criações, e não a sociedade pagar o pato dessas idéias espatafurdias.
    O que define o carater de uma pessoa é a soma de seu traço genético e o socio-econõmico.
    Um indivíduo nascido num lar centrado mas com tendências fortes para o lado criminoso, vai ser um criminoso. Ao passo que um indivíduo nascido em um lar problemático mas com fortes tend~encias a ser um cidadão normal, não vai ser um criminoso.

  • Laus disse:

    MENTIRA! MENTIRA! MENTIRA! Fui educado na época das palmadas, nunca tive nenhum problema psicológico. Tenho um ótimo casamento e relacionamento social. Da mesma forma, todas as pessoas com quem converso sobre o assunto afirmam isto. O que vemos hoje é um grande número de jovens que nunca levaram uma palmada e estão completamente alienados ao mundo. A maioria de jovens suicidas são aqueles que nunca levaram umas palmadas. Não conhecem hierarquia e não reconhecem autoridade. A pessoa pra viver em sociedade precisa saber seus limites e para isto, às vezes, é necessário um castigo físico leve ou moderado para gravar. Não tenho filhos e desisti de tê-los, porque sei que não vou poder educá-los. Lembrando que é diferente correção com castigo físico moderado de espancamento.

  • Daniel Poço disse:

    Não repreender os filhos é que causará efeitos colaterais aos filhos, no futuro.
    Meus pais tiveram 5 filhos. Fomos criados com rigor. somos todos homens honrados.
    Outras pessoas de nossa idade, criadas com liberdade total e sem repreensao estão drogadas e/ou presas.
    Enfim, discordo veementemente dessa teoria nova de liberdade total aos filhos e simples “conversa” para reolver as faltas cometidas por eles.
    Não sei que futuro terá a humanidade com uma teoria dessas…

  • maggie disse:

    Na prática, não é o que vemos ocorrer. Primeiro que tem diferença em usar a palavra surra da palavra palmada, após algum fato mais importante que exija uma maior repreensão e quando já falharam o diálogo e a conversa. Muitos jovens de hoje estariam melhores e até vivos se tivessem tido algum rigora na educação como era no tempo de nossos avós. Isto também traduz amor, para evitar o pior, é preciso ter bom senso e educar sempre, e é em casa, na família. A escola, o psicólogo nada substitue uma boa formação familiar. Os pais sabem como devem educar seus filhos e não devem sentir-se culpados por ter que enfrentá-los, melhor assim do que chorar depois onde a recuperação fica bem mais difícil. Psicólogos estudam o comportamento e falam com uso de regras, mas muitos não conseguem governar a si próprios.

  • luciana disse:

    Gozado….decadas atra quando se podia dar uma palmada num filho , não exitiam tantos jovens folgados, estupidos, futeis e imbecis, que batem uns nos outros, tocam fogo em indios, espacam moradores de rua , matam seus proprios pais. Chega de bla-bla bla !

  • carlos disse:

    COISA NENHUMA TENHO 58 ANOS E SEMPRE FIZ MINHAS ARTES E SEMPRE APANHEI DOS MEUS PROFESSORES E PAIS NAQUELE TEMPO PROFESSORES PODIAM CORRIGIR DANDOS UNS TAPAS E HOJE SOU UM HOMEM QUE SIGO MINHA VIDA CORRETAMENTE COM ESTAS HISTORIAS QUE NÃO PODE CORRIGIR COM UNS TAPAS O MUNDO ESTA DO JEITO QUE ESTA SÃO TODOS UNS HIPÓCRITAS

  • Domingos Fulvio do Nascimento disse:

    Eles erraram. O correto é o seguinte: Pais que NÃO batem em seus filhos casaum danos ao desenvolvimento da criança.
    Eu como meus irmãos , primos e amigos que conheço fomos peraltas, apanhamos e muitos de nossos pais, somos hoje pessoas formadas, educadas, e nem por isso sofremos algum prejuízo em razão das palmadas , surras que levamos. Assim, não concordo com tal pesquisa.

  • raphael disse:

    “besteira” , isso é pesquisa de gente que não tem nada pra fazer e que generaliza a atitude de pais ultra violentos!

  • sansara halnner disse:

    O conteudo da materia é pobre e sem fundamento cientificamente comprovado. Um assunto dessa relevancia deveria ser muito profundo citando as pesquisas em referencia.
    Perda de tempo ler uma manchete que apenas traz conteudo superfluo.

  • Alan Carrara disse:

    Quando fazia “arte” meu Pai me batia, mas sempre tive carinho.
    Agradeço aos meus pais por me baterem, hoje sou um HOMEM muito bem casado, amo minha esposa e trabalhador.
    Vejo muitas crianças que os pais não dão atenção esse sim sei onde encontrar.

  • dalvanete oliveira disse:

    ACHO QUE ESTA HAVENDO UMA DIVERGENCIA NAS LEIS… LEI QUE NAO PODE DAR PALMADA NOS FILHOS E LEI QUE PUNE OS PAIS DEVIDO AOS FILHOS NO FUNK ( ESSE E O BRASIL )

  • lucks disse:

    vcs nao tem o que falar mesmo nao

  • cristina disse:

    Fala sério,é por isso que os jovens de hj não tem respeito nenhum pelos mais velhos,nem se quer tem amor próprio, pois crescem mimados, achando que eles que mandam e quando respondem ou fazer algo errado não podem ser punidos, nem levar umas palmadinhas senão os pais vão presos, crescí levado palmadas e até umas cintadas de vez em quando quando respondia minha mãe,na escola aprendí que tabuada tem que ser decorada, hj tenho 31 anos, amo muito meus pais e agradeço pelas palmadas, me fizeram ser uma mulher de respeito, e aliás ainda sei decor a tabuada…abraçosss

  • Renato disse:

    E os que NÃO batem também estão causando problemas para a criança e para sociedade no futuro.

    Não sou a favor da espancamentos, pois algumas palmadas não faz mal a ninguém, digo por mim e pela minha família, onde todos estão com suas vidas resolvidas com cursos superiores e estabilidade financeira.

    Prefiro desrespeitar a Lei da Palmada do que ver meu futuro filho desrespeitando o CÓDIGO PENAL

  • Manoel disse:

    Nunca vi uma criança que foi educada e amada por seus pais serem prejudicada em seus intelecto por que algumas vezes seus pais aplicara a disciplina corretiva…Faça uma pesquisa decente e verão que homens e mulheres mais prósperos foram aquele que seus pais não deixaram de amar e disciplinar por seus erros…

    Manoel. psicanalista

  • Silvio disse:

    Bobagem.

    Eu apanhei dos meus pais, quando mereci, e não tenho nenhum problema de desenvolvimento.

    O que eu vejo com essa onda de todo mundo ser bonzinho é uma juventude cada dia mais problemática, folgada e sem limites.

    Mas cada um acredita no que quer.

  • Luciana disse:

    Eu acho importante que os pesquisadores passem mais tempo cuidando de seus filhos ao invés de deixarem com baba fazer o seu papel é muito facil na teoria dizer isso ou aquilo mas na prática a maioria não esta presente. Cada dia mais os jovens e adolescentes estão seguindo por caminhos na maioria das vezes sem volta,como droga, prostituição, e crimes. A uns 40 anos atrás não funcionava assim pois os pais batiam e os filhos sempre os respeitavam ao contrário de hoje que com tanto pode e não pode estão cada vez mais mal educados sem respeito maltratando seus pais, estrutura familiar ja não existe, o que existe é um montão de pais querendo ser tão amigos dos filhos que esquecem que seu papel é educar, ensinar e bater quando preciso, pois bater com amor se ensina o certo e errado é muito melhor do que ser amiguinho e achar normal sua filha de 12 anos sair transando por ai e ainda leva la ao gineco para tomar pilulas e dizer que é moderna, amiga e compreensiva. Isso para mim é ser negligente e fugir de suas verdadeiras responsábilidades.

  • MARGARETH disse:

    OLHA VCS VÃO MI DESCULPAR, MAIS NÃO CONCORDO COM ISSO, MINHA MÃE TEVE 10 FILHOS, HJ TODOS VIVOS, E TINHAMOS CASTIGO FISICO SIM E BASTANTE, MAIS NUNCA FOMOS MARCADOS POR ESSA ATITUDE E NEM MARCADOS NO CORPO É CLARO, MAIS SURRA DE VARA E ATÉ PEDAÇO DE PAU, E SOMOS TODOS NORMAIS, EDUCADOS, TRABALHADORES, HONESTOS, TODOS CONSTITUIMOS FAMILIAS E AMAMOS NOSSA MÃE, ELA JÁ É FALECIDA E INESQUECÍVEIS EM NOSSO CORAÇÃO. E DOS NOSSOS FILHOS QUE NÃO SÃO CASTIGODOS COMO FOMOS FAZEM COISAS ERRADAS E AQUELES QUE SÃO CASTIGADOS COMO FOMOS NÃO FAZEM NADA DE ERRADO E SÃO PESSOAS NORMAIS E ESTUDIOSOS E AMAM OS PAIS. EU SOU DE ACORDO QUE UMA SURRINHA DE VARA NAÕ FAZ MAL A NINGUEM, E FORA QUE ISTO É ATÉ BIBLICO, DEUS NOS ENSINA QUE TEMOS QUE CORRIGIR NOSSOS FILHOS COM VARA. É POR NÃO PODER MAIS CORRIGIR OS FILHOS COMO É PRECISO QUE ESTAMOS TENDO MUITOS JOVENS NAS DROGAS E JOVENS QUE DESRRESPEITA OS PAIS E TUDU MAIS. SI PUDER DÊ UMA LIDA NA SUA BIBLIA EM PROVERBIOS NO CAPILO 29 E VERSICULOS 15 E 17, ISSO É DEUS FALANDO. DESCULPA PELA MINHA OPNIÃO E OBRIGADA POR ESSA OPORTUNIDADE.

  • Reubert disse:

    Apanhei quando crianca quando necessario foi, e nao me atrapalhou em nada, essa cultura que querem impor aos pais e mediucre, alem de tola, quando necessario os pais devem sim corrigir os filhos com palmadas, melhor umas palmadas que depois ja adolescente o jogo vire, e ai os filhos e que batem nos pais.

  • Luis roberto de Lucena Moreira disse:

    Apanhei de meu pai e de minha mãe, juntamente com meus cinco irmãos. Hoje, sou fiscal da Receita Federal. Estudei na USP e sempre fui muito amigo deles. Meu pai está com 90 anos e todos os meses vou visitá-lo em São Paulo. Minha mãe, infelizmente, morreu no ano passado. Todos nós, seus filhos, sempre tivemos ótimo relacionamento com eles e só temos a agradecer o que fizeram por nós. Posso assegurar que as palmadas que levamos em nada prejudicou nossas vidas!

  • ” REALMENTE É VERDADE,PROVA DISSO É QUE AS CADEIAS ESTÃO VAZIAS, E A POLICIA NÃO ESPANCA E NEM MATA”

  • AINDA BEM QUE DIREITO DE EXPRESSÃO EXISTE TAMBÉM…

  • VIVA O MODELO DE DEMOCRACIA DO BRASIL,ONDE NÓS NOS LIMITAMOS A OBEDECER…

  • @ O ESTRANGEIRO É EDUCADO PRA QUESTIONAR E SE TIVER CERTO OBEDECER, O BRASILEIRO É “CRIADO” E OBRIGADO A OBEDECER TUDO…

  • Antonio R Lima disse:

    Descordo, hoje em dia as crianças não tem mais limites por causa deste tipo de pensamento, sou condutor escolar, já recebi duas ameaças de processo só porque alterei a voz. (Detalhe com alval dos pais!), não existe respeito por parte delas, normalmente são bem informadas sobre seus direitos, mas não são educadas sobre seus deveres. Sou contra espancamento, abuso, agora não punir nos leva a um mundo onde a sociedade se encarregará de discipliná-las.

  • Everton disse:

    Isso não procede, eu fui muito peralta qdo criança e apanhei um montão. Nem por isso sou frustrado, ou tenho traumas, ao contrário. Hoje sou extremamente responsável, tenho meu negócio próprio,sou uma pessoa de sucesso. Agora se Quando eu tivesse tacado fogo no pinheiro do vizinho – sim fiz isso- ao invés de me darem um belo corretivo, tivessem falado, ha filhinho não faça de novo… não sei se seria a pessoa q sou hoje. Agradeço meus pais pelas palmadas que levava, hj sou uma pessoa melhor por isso…

  • José Carlos Guerino disse:

    Muda sim o comportamento, todos que apanharam ( Não tortura ) hoje sabem respeitar os mais velhos e não cairam na criminalidade, e a grande maioria é alguem na vida.
    Os tratados a Pão de Ló e com a conversa de : filhinho obedeça ! São aqueles que ninguem principalmente seus pais tenham controle sobre ele.
    E só pode dar numa coisa : Um ser desqualificado quando não bandido ou drogado.

  • Bruno disse:

    Sou advogado e concordo totalmente com está situação. Não só pais que batem, mas os que gritam também.
    Por isso sou a favor totalmente da lei da palmada e, Maria da penha deveria ser aplicada nesse caso tbm, pois m não deixa de ser uma violência domestica.
    você pode educar seu filho tirando as coisas deles e não batendo.
    Ex:
    A criança fica na internet ou assiste tv 2 Horas por dia.
    Durante 1 semana ela ficará sem poder acessar a internet ou assistir seu desenho animado. Isso sim é castigo. Agora pai ou mãe que bate e grita com fiilho deveria ter uma pena de reclusão sem direito algum, salvo no caso de Advogado e na segunda ocorrência de grito ou palmadas deveriam perder a guarda do filho.

  • Caetano disse:

    Profissionais de educação somente teóricos continuam tentando provar suas teorias através de pesquisas tendenciosas.

  • moab disse:

    Melhor esses efeitos colaterais do que os efeitos colaterais que surgem com as crianças que não apanham. Tá aí o biscatismo moderno. Um bando de meninas com 12 anos ou menos dando a rodo…
    O pesquisa inútil!!!!

  • Interessante disse:

    E pais que não batem causam danos ainda maiores.

  • rosemary r sousa disse:

    Desculpe, mas discordo da pesquisa pois um tapa na hora certa evita um monte de problemas futuro, o que eu não concordo e com abuso e espacamente.
    Pois é melhor eu corrigir do que a policia bater no dia de amanha, não creio que u tapa possa causar danos, tão nocivos assim, podem diser o que quiser e fazerem as pesquisa que quiser, pois o que vejo dentro de sala de aula me prova ao contrário.
    Acredito que pais que ensinam valores a seu filho em um momento ou outro acabam dando um boa palma sem precisar espancar.
    Pois em algumas situações isso se torna inevitável, isso não quer dizer que não ame ou que não quera pro meu filho o melhor, visto que ele é com certeza a razão da minha vida e do meu querido marido que como pai e perfeito.
    E sei também o quando omiguel é amado, por todos de nossa familia.

  • Norberto disse:

    Abaixo a Ignorância!

    Abaixo a Covardia!

    Nos países mais desenvolvidos do mundo isso dá “cana preta”.

    Pena que o Brasil seja tão atrasado.

  • Bia disse:

    Nunca vi um estudo tao absurdo. Evidente que ninguem deve surrar uma crianca, mas a geracao anterior a nossa, que levava uns tapinhas por ter aprontado, se saiu muito melhor. Hj, a geracao “sem tapinha” levanta o dedo na cara do professor, chama pai e mae de burro, tortura cachorro, se junta em gangue e espanca mendigo na rua, fica 10 horas por dia na frente do micro e da internet, mas nao le 1 livro por ano, nao da a minima pros mais velhos, bebe igual gamba e se livra da blitz usando o twitter, enfim…. PESSOAS SEM LIMITES TRANSFORMANDO A SOCIEDADE NUM LUGAR CADA VEZ MAIS HEDIONDO DE SE VIVER.

  • arlete disse:

    Boa noite,
    concordo com você sempre.
    Uma boa conversa com seus filhos faz toda diferença, e não colocar os filhos como responsabilidade da escola.Sendo que os próprios não dão exemplo para os filhos, às criança entram em conflitos e tudo mais(…)
    abraço,
    Arlete

  • emerson disse:

    Sra. Ana Claudia Xavier,

    A pesquisa tem de ser feita separando o castigo que pode incluir a ‘surra’ do espancamento, que são totalmente diferentes. O espancamento pode ser tão prejudicial quanto a omissão de não educar (o que inclui punir, dando palmadas ou não) segundo o que for necessário para cada caso de talvez apenas ‘conversar’ com a criança mesmo sabendo que a criança/ o jovem , não mudará de proceder.

  • Marcos disse:

    E pais que nao teem coragem de fazer o papel de pais; ensinando, corrigindo e orientando (fingem que sao novinhos e ficam bancando os babacas), causam danos aos filhos e á sociedade.

  • Roseli disse:

    Uma eventual surra administrativa nunca fez mal aos meus filhos…
    já essas crianças que crescem sem surra nenhuma, bom… acho que não sou a unica a avaliar que crescem sem respeito aos pais… achando que são donas do mundo…
    sem mais

  • Claudio Padilha disse:

    Dê umas palmadas hoje no seu filho, para não ter que tirá-lo cadeia amanhã.

    Faça uma pesquisa de como se encontra a juventude canadense, européia e americana, sendo criada por estes padrões morais progressistas onde é proibido proibir e sem moral cristã.

    A Biblia diz:
    É bom corrigir e disciplinar a criança. Quando todas as suas vontades são feitas, ela acaba fazendo a sua mãe passar vergonha”. (Provérbios 29:15 )

    Castiga a teu filho, enquanto há esperança, mas não te excedas a ponto de matá-lo”. (Provérbios 19:18 )

    Não retires da criança a disciplina, pois, se a fustigares com a vara, não morrerá. Tu a fustigarás com a vara e livrarás a sua alma do inferno”. (Provérbios 23:13-14 )

Deixe um comentário

 
Perfis

Giselle Silva
Colaboradora da equipe Boa Saúde

Fale Conosco
blogboasaude@corp.bibliomed.
com.br

Arquivos