Exercícios ajudam na diminuição da gordura visceral

Comentar

Obesidade

destaque_corridaA gordura que representa o maior perigo para a saúde de uma pessoa não é visível fora do corpo, mas dentro dela, diz estudo da Mayo Clinic. Chamada gordura visceral, ela pode afetar os órgãos locais ou o sistema do corpo inteiro. Sistematicamente, pode afetar o coração e o fígado, assim como os órgãos abdominais.

As gorduras viscerais são também conhecidas como “órgão ativo”, que envia sinais químicos para outras partes do corpo. Essas gorduras podem secretar substâncias químicas que podem ser perigosas para o coração e outros órgãos vitais. A localização e o tipo de gordura são importantes. Por isso, estudos que usam o peso ou o índice de massa corporal como uma métrica não conseguem precisar onde a gordura está sendo reduzida: se no corpo todo ou apenas na parte superficial.

O estudo realizado pela Mayo Clinic monitorou 3.602 participantes durante seis meses e mediu seus resultados com um exame de tomografia computadorizada ou ressonância magnética. Os participantes tinham uma idade média de 54 anos e IMC de 31. Cerca de 65% dos participantes eram mulheres.

Tanto o exercício e intervenções farmacológicas foram associados com reduções significativas no índice de gordura visceral (IGV): pequena redução com intervenções farmacológicas e reduções mais substanciais com intervenções de A redução média absoluta do IGV foi maior nos ensaios farmacológicos do que nos ensaios de exercício. Meta-regressão exibiu uma correlação linear entre índice de gordura visceral e perda de peso, mas a redução do IGV em relação à perda de peso diferiu por tipo de intervenção.

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças afirmam que cerca de 40% dos adultos nos EUA são obesos. Intervenções de exercícios resultaram em maior redução do IGV em relação à perda de peso do que as intervenções farmacológicas. Uma redução preferencial do IGV pode ser clinicamente significativa ao monitorar o sucesso das intervenções porque a perda de peso sozinha pode subestimar os benefícios. Algumas pessoas que são obesas têm doenças cardíacas, diabetes ou síndrome metabólica – e outras não. O estudo sugere que uma combinação de abordagens pode ajudar a diminuir a gordura visceral e potencialmente prevenir essas doenças.

Fonte: Mayo Clinic Proceedings. Volume 94. Issue 2. Pages 211–224.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>