Publicidade

Artigos de saúde

Autismo

© Equipe Editorial Bibliomed

Neste Artigo:

- O que causa o autismo?
- Como o autismo é diagnosticado?
- Como é feito o tratamento?

O Autismo é um distúrbio cerebral que interfere com a capacidade do indivíduo em se comunicar e relacionar com outras pessoas.

Os sinais de autismo costumam surgir antes dos 3 anos de idade: a criança apresenta dificuldade para engatinhar ou falar, e não responde ou interage como outras crianças da mesma idade.

A severidade do autismo varia. Algumas crianças afetadas necessitam assistência em praticamente todos os aspectos do dia a dia, ao passo que outras podem freqüentar escolas normalmente. O denominador comum está no fato desta doença ser incurável, mas o tratamento é capaz fazer uma enorme diferença no desenvolvimento da criança. Em muitos casos, o diagnóstico precoce e o tratamento adequado podem resultar em adultos independentes e felizes.

O que causa o autismo?

A causa exata ainda é um mistério. O autismo costuma ocorrer em grupos familiares, sugerindo um traço genético na doença. Alguns especialistas também acreditam na interferência de fatores ambientais, mas estas pesquisas ainda não produziram resultados conclusivos.

Alguns poucos casos de autismo podem ser relacionados a uma infecção viral (p.ex., rubéola congênita ou doença de inclusão citomegálica), a fenilcetonúria (uma deficiência hereditária de determinada enzima) ou à síndrome do X frágil (um distúrbio cromossômico).

Quais são os sintomas?

Todas as pessoas autistas apresentam dificuldade para estabelecer relacionamentos sociais. Os pais de crianças autistas freqüentemente descrevem que seus filhos preferem brincar sozinhos e evitam estabelecer contato visual com outras pessoas.

Outros sintomas compatíveis com autismo incluem:

  • Dificuldade para lidar com a comunicação verbal e não-verbal.
  • Padrões de comportamento limitados e repetitivos.
  • Adesão rápida a rotinas e resistência a mudanças.
  • Maior incidência de depressão e distúrbio da ansiedade (mais comuns durante a adolescência).
  • Epilepsia (ocorre em 1/3 das crianças afetadas).
  • QI baixo: cerca de 70% das crianças autistas possuem níveis de inteligência abaixo do normal para a idade.

Vale lembrar que estas são manifestações genéricas. Não existe um padrão considerado "típico" para autismo. Crianças afetadas por este distúrbio podem apresentar combinações diferentes de comportamento.

Como o autismo é diagnosticado?

Não existem exames laboratoriais capazes de determinar a presença ou ausência da doença. O diagnóstico é feito a partir observação atenta por um Psiquiatra, com base em critérios bem definidos pela Sociedade Brasileira de Psiquiatria e pela Academia Americana de Psiquiatria da Criança e do Adolescente (American Academy of Child and Adolescent Psychiatry ou AACAP).

Como é feito o tratamento?

Fonoterapia, fisioterapia e terapia ocupacional podem ser indicadas de acordo com a necessidade de cada caso. Em alguns casos, o comportamento agressivo e autodestrutivo precisa ser controlado com medicamentos.

O futuro da criança dependerá, em boa parte, do grau de desenvolvimento da linguagem adquirido pela criança até os 7 anos de idade - daí a importância da Fonoterapia.

Copyright © 2012 Bibliomed, Inc. 12 de abril de 2012



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: