Publicidade

Artigos de saúde

Obesidade Infantil: causas e complicações

© Equipe Editorial Bibliomed

Neste Artigo:

- Como saber se a criança está sofrendo de Obesidade?
- O que causa a Obesidade Infantil?
- Quais as complicações da Obesidade Infantil?

A Obesidade Infantil já é considerada o distúrbio nutricional mais comum na infância. Em 1998, a Organização Mundial de Saúde declarou a Obesidade Infantil uma "epidemia global": mais de 22 milhões de crianças com idade inferior a 5 anos apresentam excesso de peso ou obesidade franca. Mais de 2/3 destas crianças se tornarão adultos obesos e terão sua expectativa de vida reduzida em 5 a 20 anos.

No Brasil, apesar da desnutrição ainda ser uma triste realidade, a Obesidade Infantil praticamente dobrou nos últimos 10 anos. Calcula-se que cerca de 15% das crianças brasileiras sejam obesas.

Como saber se a criança está sofrendo de Obesidade?

Nem mesmo os especialistas conseguiram entrar em um acordo sobre como determinar se uma criança está obesa ou não.

Um dos índices mais conhecidos para avaliar o nível de Obesidade é o Índice de Massa Corpórea, conhecido pela abreviatura IMC. O IMC foi adotado pela Organização Mundial de Saúde para estabelecer os critérios de obesidade.

O IMC (expresso em kg/m²) é determinado pela fórmula:

Peso do corpo em Kg

altura x altura

De acordo com o valor do IMC, é possível determinar nível de Obesidade de uma pessoa:

VALOR DO IMC

SIGNIFICADO

Igual ou Menor

que 18 kg/m²

Baixo peso em relação à altura

Entre 19 e 24 kg/m²

Peso normal e proporcional à altura

Entre 25 e 26 kg/m²

Peso acima do normal em relação à altura (sobrepeso)

Entre 27 e 39 kg/m²

Peso acima do normal em relação à altura (obesidade)

Igual ou acima

de 40 kg/m²

Obesidade Mórbida

Apesar de ser fácil de calcular e interpretar, os parâmetros oferecidos pelo IMC não costumam ser utilizados isoladamente para determinar a presença de Obesidade Infantil. Para tanto, os especialistas empregam uma tabela de percentis relacionados ao IMC. Estes percentis variam de acordo com a altura, o peso e a idade da criança. A Obesidade Infantil corresponde a um percentil acima de 95, ou um peso cerca de 20% acima do considerado ideal para a idade e altura.

O que causa a Obesidade Infantil?

Existe uma discussão considerável sobre os motivos que estão produzindo as multidões de crianças obesas que avançam pelo Século XXI. A causa mais comum repousa no desequilíbrio entre o que a criança come e a energia que ela gasta.

A dieta brasileira tradicional (arroz, feijão, carne, saladas, legumes e frutas) vem sendo substituída por opções ricas em calorias, porém nem sempre com bom valor nutricional. E para piorar a situação, as porções dos lanches vêm aumentando assustadoramente.

As refeições hipercalóricas não são um problema das classes mais favorecidas: as estatísticas mostram que a Obesidade Infantil afeta todos os níveis sociais. Afinal de contas, é simples, barato e fácil comprar e consumir alimentos ricos em calorias (biscoitos, salgadinhos industrializados, doces) que alimentos mais saudáveis (como frutas, verduras, legumes, etc).

Outras mudanças no estilo de vida trazidas pela modernidade também estão no centro do problema. O sedentarismo aumentou. As crianças passam mais tempo na frente da TV e do videogame do que correndo na rua, jogando bola ou andando de bicicleta.

Cerca de 10% das crianças que passam mais de 1 hora na frente da TV são obesas. A TV preenche o tempo livre de boa parte das crianças e estimula o consumo de alimentos pouco nutritivos, porém ricos em calorias. Mais da metade dos comerciais veiculados durante programas infantis fazem propaganda de lanches, refrigerantes, sucos ou outros tipos de alimentos hipercalóricos.

Como as crianças de hoje têm o mesmo tamanho daquelas de outrora, o resultado do maior consumo de calorias e do aumento do sedentarismo só poderia resultar em uma coisa: Obesidade.

6 PRINCIPAIS CAUSAS DA OBESIDADE INFANTIL

  1. Causas Nutricionais: de longe o fator mais comumente envolvido.
  2. Causas Psicológicas: crianças ansiosas terminam comendo mais.
  3. Causas Ambientais: a falta de atividade física é a principal representante deste grupo
  4. Causas Hormonais: algumas doenças endócrinas (p.ex., Hipotireoidismo, síndrome de Cushing, Deficiência de Hormônio do Crescimento, etc) podem se manifestar com ganho de peso. Estas doenças respondem por cerca de 10% dos casos de Obesidade Infantil.
  5. Causas Genéticas: crianças portadoras de Síndrome de Down, Síndrome de Turner e outros distúrbios genéticos realmente têm "facilidade" para engordar.
  6. Causas Medicamentosas: alguns medicamentos, como os corticóides, podem provocar ganho de peso.

Quais as complicações da Obesidade Infantil?

A obesidade infantil pode afetar a saúde da criança de diversas formas. A depressão é freqüente. Quando associada à baixa auto-estima, ela pode dificultar o relacionamento social da criança e resultar em uma sensação de impotência frente ao problema. Estudos mostram que crianças obesas apresentam uma tendência maior para desenvolver problemas psiquiátricos quando comparadas a crianças não-obesas.

A obesidade infantil tende a se estender para a idade adulta: cerca de 40-70% das crianças que chegam à adolescência obesas se tornam obesas pelo resto da vida. Os problemas cardiovasculares e respiratórios se iniciam na infância e podem se agravar com os anos. A obesidade também diminuir o potencial de aprendizado da criança.

A quantidade de gordura corporal total e os depósitos localizados de gordura estão associados ao desenvolvimento de várias doenças degenerativas crônicas, tais como aterosclerose, doença coronariana, hipertensão e diabetes melito.

Pesquisadores descobriram que crianças que sofrem de obesidade desenvolvem alterações ateroscleróticas nas artérias coronarianas ainda durante a infância. Em alguns casos, estas alterações podem evoluir para lesões obstrutivas, angina e infarto em poucas décadas. Felizmente, o processo é reversível nos estágios iniciais, bastando que a criança controle de modo adequado o excesso de peso.

COMPLICAÇÕES DA OBESIDADE INFANTIL

NO CURTO PRAZO

  • Asma e Apnéia do sono.
  • Problemas ortopédicos.
  • Disfunção do fígado devido ao acúmulo de gordura
  • Inflamação e formação de pedras na vesícula.
  • Acne.
  • Assaduras e dermatites.
  • Enxaqueca.
  • Depressão.
  • Aumento dos níveis de colesterol no sangue.

NO LONGO PRAZO

  • Diabetes melito.
  • Hipertensão arterial
  • Tromboses
  • Derrame
  • Doença coronariana
  • Angina e infarto.
  • Gota
  • Osteoartrite
  • Artroses.
  • Depressão e ansiedade crônicas.
  • Diminuição da expectativa de vida.

Copyright © 2008 Bibliomed, Inc.                                        24 de março de 2008.



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: