Publicidade

Artigos de saúde

Osteoartrose – Como prevenir

© Equipe Editorial Bibliomed

Neste Artigo:

- Osteoartrite e Debilidade Física
- Osteoartrite e Síndrome da Dor e Debilidade Músculo-Esquelética
-
Recomendações gerais:

A fraqueza muscular, principalmente dos músculos da coxa (quadríceps), está relacionada com o desenvolvimento da osteoartrite do joelho. Isso é um fato novo, pois sempre se pensou que tal fraqueza era resultante das alterações articulares. De fato, estudos demonstraram que pacientes com massa muscular normal, mas com menos força, tiveram um maior índice de osteoartrite. Também ficou comprovado que o aumento da força muscular nesses músculos, leva a uma diminuição do risco para a doença.

Osteoartrite e Debilidade Física

O impacto dessa doença na atividade física é intenso. Para se ter uma idéia, o risco de debilidade física (necessidade de ajuda para andar e subir escadas), atribuída à osteoartrite do joelho, é tão grande, quanto o risco de doenças cardiovasculares e maior que qualquer outra condição médica em idosos. Dentre os fatores relacionados com essa debilidade, estão a dor, fatores psicossociais como sintomas depressivos, fraqueza muscular, pequena capacidade aeróbica e intensidade das alterações radiológicas.

Osteoartrite e Síndrome da Dor e Debilidade Músculo-Esquelética

É importante que se separe conceitualmente a osteoartrite e a síndrome de dor e debilidade músculo-esquelética. Enquanto a osteoartrite está associada com o aumento da idade, obesidade, lesões articulares, deformidade prévia e relaxamento ligamentoso, a SDDME é um problema muito mais amplo. Ele é previsto pelo avançar da idade, osteoartrite, obesidade, sedentarismo, baixo nível de independência, condições outras como alcoolismo e tabagismo, depressão, baixo nível educacional e econômico. Muitos desses fatores para SDDME podem ser modificados.

A prevenção ou atraso do aparecimento da osteoartrite envolve mudanças no estilo de vida que podem prevenir os outros problemas clínicos mais amplos da SDDME. Ao se conseguir adiar o início das manifestações, pode-se levar a fase ruim da doença para uma idade mais avançada e por um menor espaço de tempo.

Os programas de exercícios físicos proporcionam notável benefício no tratamento da artrose. Exercer alguma atividade física diária (compatível com sua respectiva idade e condicionamento físico) trará melhora da função muscular, o que ajudará a manter a integridade da articulação e poderá reduzir a dor. Além disso, melhora o sistema cardiovascular, a sensação de bem-estar e a função mental, além de reduzir a ansiedade, a depressão ou outra forma de estresse psicológico que possa estar presente. Os exercícios devem ser moderados e de baixo impacto. Obviamente, as atividades físicas devem respeitar a gravidade da doença, além da saúde geral da pessoa com artrose. Fisioterapia e hidroterapia também são úteis para a prevenção e o tratamento da artrose.

Os períodos de repouso, durante o dia, podem ser importantes na rotina de pessoas com artrose. A redução da sobrecarga na articulação, tanto por meio de repouso, quanto pelo uso apropriado de uma bengala, freqüentemente permite maiores períodos de atividade, com uma dor menos intensa. Uso de calçados acolchoados (sapatos especiais para corrida ou caminhada) também podem ajudar na melhora dos sintomas.

Com relação à dieta, é importante ressaltar que a obesidade é um fator de risco para a artrose e pode contribuir para lesar ainda mais as articulações, principalmente os joelhos e bacia. Portanto a alimentação dever ser saudável, evitando massas, doces e gorduras, dando preferência para frutas frescas, legumes, grãos e proteínas de origem vegetal ou animal, como leite (de preferência desnatado), queijo branco, peixes e carnes magras.

As cirurgias são reservadas para aqueles pacientes que não melhoram, mesmo com todas as medidas clínicas e que continuam sentindo dor que interfere nas atividades cotidianas ou apresentam limitações importantes de movimento.

Recomendações gerais:

• É importante que o indivíduo com artrose mantenha boa saúde geral, elimine os fatores de risco, como o excesso de peso corporal, preserve uma boa força muscular e, acima de tudo, reconheça a sua própria responsabilidade no controle do tratamento.

• O equilíbrio entre atividade e repouso é fundamental, especialmente nas articulações que suportam peso.

• Para que haja alívio da dor, é importante o uso correto dos medicamentos. Estes devem ser usados de acordo com as orientações dadas pelo médico.

• É importante seguir sempre as orientações médicas e discutir as dúvidas com o seu médico, compreendendo que os resultados aparecem a longo prazo e que a continuação do tratamento é fundamental para o seu progresso.

Copyright © 2008 Bibliomed, Inc.                                        26 de fevereiro de 2008



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: