Publicidade

Artigos de saúde

Diarréia

© Equipe Editorial Bibliomed

Neste Artigo:

- Quais os principais sintomas associados à diarréia?
- Qual a causa da diarréia?
- Quando procurar um médico?
- Que exames devem ser feitos?
- Qual o tratamento ideal?

A diarréia aguda é um distúrbio: em média, as crianças apresentam pelo menos 4 episódios de diarréia durante o ano. As evacuações aquosas típicas da diarréia em geral duram poucos dias, mas mesmo este curto período de tempo pode levar a complicações potencialmente graves na criança devido à perda de grandes quantidades de água e sais minerais.

A diarréia crônica possui duração bem mais longa que a diarréia aguda, freqüentemente ultrapassando 30 dias de duração. A diarréia crônica pode ser o sinal de distúrbios mais graves, como doença inflamatória intestinal, ou problemas mais simples, como a síndrome do intestino irritável.

A diarréia crônica ou recorrente dificulta a absorção de nutrientes e pode comprometer o desenvolvimento normal da criança.

Quais os principais sintomas associados à diarréia?

As manifestações mais comuns associadas à diarréia incluem:

  • Aumento no número de evacuações (mais de 3 por dia), com fezes aquosas ou com sangue
  • Cólicas abdominais
  • Febre
  • Gases
  • Náuseas e vômitos
  • Febre

Qual a causa da diarréia?

Normalmente, a comida que ingerimos permanece liquida durante boa parte do processo digestivo. Ao chegar no intestino grosso, o líquido é absorvido, restando apenas fezes semi-sólidas.

Na diarréia, os alimentos e os líquidos ingeridos passam muito rápido – ou em grande quantidade – pelo intestino grosso, impedindo a absorção dos fluidos e resultando na eliminação de fezes aquosas. Além disso, o revestimento do intestino grosso pode se encontrar inflamado devido à infecção intestinal que causou a diarréia, acentuado o problema.

As principais causas de diarréia na criança incluem:

  • Vírus: o rotavirus é a causa mais comum, sendo extremamente contagioso.
  • Bactérias e parasitas: alimentos e água contaminados podem ser fonte de bactérias e parasitas, como a Giárdia, a Salmonela, a Shigela, a Escherichia coli e o Criptosporídio.
  • Lactose: algumas crianças podem sofrer de intolerância à lactose. Diarréias recorrentes são a principal manifestação deste distúrbio.
  • Medicações: especialmente antibióticos. Os antibióticos destroem tanto as bactérias ruins quanto as boas, perturbando o equilíbrio natural da flora intestinal.
  • Adoçantes artificiais: sorbital e manitol, adoçantes artificiais encontrados em chicletes e vários produtos dietéticos, podem causar diarréia em algumas crianças.
  • Outras doenças digestivas: doença de Crohn, colite ulcerativa, doença celíaca e síndrome do intestinal irritável podem se manifestar com diarréia na criança. Felizmente, a maioria destas doenças é rara na infância.

Quando procurar um médico?

Procure atendimento médico imediatamente se a diarréia persistir por mais de 3-5 dias ou se a criança apresentar sinais de desidratação, tais como sede excessiva, pele e boca secas, chora sem lágrimas, apresenta fraldas com pouca ou nenhuma urina por mais de 3-4h consecutivas, fraqueza severa ou vertigens.

Crianças com cólicas abdominais intensas, fezes sanguinolentas ou muito escuras (tipo "graxa") com odor fétido, ou febre acima de 39ºC também devem ser levadas para atendimento médico de urgência.

Que exames devem ser feitos?

Se a criança precisar de atendimento médico, o pediatra poderá solicitar alguns exames para avaliar a gravidade da infecção intestinal (caso o problema seja causado por agentes infeccioso) e ter uma idéia da extensão da desidratação.

Exames de fezes também são úteis para verificar a presença de agentes infecciosos e outras anormalidades.

Qual o tratamento ideal?

A imensa maioria dos casos de diarréia – em especial aqueles causados por vírus - desaparece após poucos dias, sem qualquer tratamento específico. O segredo está em manter a criança bem nutrida e hidratada enquanto o próprio organismo resolve o problema.

Nos casos causados por antibióticos ou outros medicamentos, é essencial suspender o uso dos remédios responsáveis pela diarréia, mas isso só deverá ser feito sob orientação estrita do pediatra responsável pela criança. O mesmo vale para o uso de antiparasitários e antidiarreicos.

Contudo, existem 5 medidas principais que você pode implementar para ajudar a controlar o problema:

  • Para evitar a disseminação do germe nos casos de diarréia viral, lave sempre suas mãos e estimule as crianças a fazerem o mesmo.
  • Mantenha a criança bem hidratada com água mineral, soluções de rehidratação padrão, sucos naturais, etc. Mas atenção: o suco de maçã e o leite podem piorar a diarréia no começo. Banana, arroz, batatas cozidas, torradas e biscoitos de água e sal são boas alternativas.
  • Assim que o intestino começar a retornar ao normal, adicione comidas semi-sólidas e com baixo conteúdo de fibras, de acordo com a idade e tolerância da criança.
  • Cuidado com o que come! A comida de ser servida assim que for preparada: deixar as refeições descansando em temperatura ambiente aumenta o risco de crescimento de bactérias.
  • Cuidado com os líquidos que a criança ingere: e aí estão incluídos refrigerantes servidos em garrafas ou latas; cubos de gelo; água da torneira, chuveiro ou banheira, etc.
Copyright © 2009 Bibliomed, Inc.

05 de fevereiro de 2009



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: