Publicidade

Artigos de saúde

Bronquite

Untitled Document

© Equipe Editorial Bibliomed

Neste Artigo:

- Exatamente o quê sente alguém com Bronquite?
- Qual a causa da Bronquite?
- Existem fatores de risco?
- Como é feito o diagnóstico de Bronquite?
- Quais as complicações da bronquite?
- Como a bronquite é tratada?
-
É possível prevenir a Bronquite?

Justamente quando você achou que já tinha se livrado daquela gripe ou resfriado, começa a sentir um desconforto no tórax e passa a tossir. No dia seguinte, está com febre, calafrios e uma chieira incômoda no peito.

Se estes sintomas parecem familiares, então você sabe o que sente alguém com Bronquite Aguda.

A Bronquite consiste na inflamação das membranas mucosas que revestem ramos (brônquios) da árvore respiratória. Dependendo da duração e da gravidade da inflamação, a Bronquite pode ser classificada em Aguda ou Crônica.

A Bronquite aguda geralmente é causada por um agente infeccioso (como vírus ou bactérias) ou um poluente ambiental (p.ex.: cigarro). A bronquite aguda é comum no início de uma sinusite, de um resfriado ou outra infecção respiratória e pode durar de 3 dias a 3 semanas.

A Bronquite crônica é definida como tosse contínua por três meses ou mais durante dois anos seguidos. A tosse é conseqüência da produção excessiva de muco nos brônquios. A bronquite crônica, se não tratada, pode levar ao enfisema, que é a destruição permanente do tecido pulmonar. Os principais sinais de bronquite crônica são tosse produtiva e falta de ar. A falta de ar ocorre inicialmente após grandes esforços físicos. Nos casos mais avançados, até mesmo pentear os cabelos já causa falta de ar.

A maioria dos casos de bronquite aguda melhora após alguns dias, mas a tosse pode levar mais tempo para desaparecer.

Exatamente o quê sente alguém com Bronquite?

Em uma pessoa normal, as vias aéreas produzem uma boa quantidade de muco por dia. O muco atua como um protetor, facilitando a limpeza e dificultando a entrada de microorganismos invasores. O muco não se acumula: ele é continuamente impelido em direção à garganta e deglutido junto com a saliva.

Contudo, quando os brônquios estão inflamados, a respiração se torna difícil, a quantidade de muco aumenta, a secreção se torna amarelada ou esverdeada e precisa ser eliminada com tosse.

Além dos sintomas respiratórios, as pessoas afetadas podem apresentar outras manifestações comuns, tais como:

  • Sensação de ressecamento ou queimação na garganta ou no peito
  • Dores de cabeça
  • Falta de car
  • Desanimo
  • Febre e calafrios

Algumas vezes, a Sinusite Crônica pode imitar um quadro de Bronquite. Isto ocorre por que os sinais e sintomas da Sinusite Crônica incluem presença de secreção nasal e tosse com expectoração amarelada ou esverdeada.

Qual a causa da Bronquite?

Os mesmos vírus responsáveis pelos resfriados podem causar Bronquite Aguda. Mas a Bronquite Aguda também pode ser causada pela exposição à fumaça do cigarro ou outros poluentes (p.ex.: poeira doméstica, substâncias químicas irritantes, etc).

Em algumas pessoas, A Bronquite aguda está relacionada ao refluxo de secreções ácidas do estômago, um distúrbio conhecido como Refluxo Gastro-Esofágico.

Existem fatores de risco?

Os fumantes ou pessoas que convivem com fumantes possuem um risco maior para Bronquite. Outros fatores que aumentam o risco incluem:

  • Baixa resistência
  • Presença de refluxo gastro-esofágico
  • Exposição repetida a certos irritantes em casa ou no trabalho

Quando procurar auxílio médico?

A maioria dos casos de Bronquite se resolve em alguns dias, sem necessidade de tratamentos específicos. Contudo, é recomendável que você procure seu médico com mais urgência caso:

  • A tosse seja tão intensa que esteja lhe impedindo de dormir.
  • A tosse atinja mais de 3 semanas de duração.
  • Você tenha febre de até 37,5ºC por mais de 3 dias consecutivos ou um episódio de febre acima de 38ºC. Neste caso, é bastante provável que a Bronquite esteja evoluindo para uma pneumonia.
  • Você possua problemas pulmonares ou cardíacos, incluindo asma, enfisema ou insuficiência cardíaca. Estes distúrbios aumentam seu risco para complicações da Bronquite.
  • As crises de Bronquite estejam se tornando freqüentes.

Como é feito o diagnóstico de Bronquite?

Para diagnosticar a Bronquite, o médico deverá auscultar seu tórax com um estetoscópio, procurando os ruídos característicos da doença. Em algumas pessoas, podem ser necessários exames complementares, tais como radiografias do tórax, análise do escarro ou exames de sangue.

Pessoas com suspeita de Bronquite Crônica ou com queixa de Bronquite Aguda recorrente podem ser encaminhadas para uma Prova de Função Pulmonar ou Espirometria. Este exame mede a capacidade pulmonar e é útil para detectar Asma ou Enfisema.

A Espirometria é um teste rápido, simples e indolor. Ele consiste em respirar através de um tubo, que leva o ar a um aparelho capaz de medir o volume de ar aspirado e expirado, e a velocidade com que o ar entra e sai dos seus pulmões.

Quais as complicações da bronquite?

Apesar de um episódio isolado de Bronquite não ser motivo de grande preocupação, ele pode evoluir para Pneumonia em algumas pessoas. Idosos, crianças, fumantes e pessoas portadoras de doenças respiratórias crônicas ou problemas cardíacos possuem o maior risco para este tipo de complicação.

Crises repetidas de Bronquite podem significar Bronquite Crônica, asma ou outras doenças pulmonares. Pessoas com bronquite crônica que continuam fumando apresentam um risco aumentado para câncer nos pulmões.

Como a bronquite é tratada?

O tratamento da bronquite possui 3 pontos principais:

  • Repouso
  • Tomar bastante líquido
  • Remédios para reduzir a febre

Remédios que inibem a tosse não são muito indicados: a tosse ajuda a limpar as vias aéreas, removendo irritantes e o excesso de muco. Se a tosse estiver lhe impedindo de dormir, peça ao seu médico que prescreva um antitussígeno em doses baixas, o suficiente apenas para permitir que você descanse, mas não a ponto de inibir completamente a tosse.

Como a maioria dos casos de Bronquite Aguda é causada por infecções virais, os antibióticos não são muito úteis, mas seu médico poderá receitá-los caso suspeite da presença de Pneumonia ou se achar necessário reduzir seu risco para infecções mais graves.

Em pessoas que sofrem de Asma ou se os sintomas da Bronquite estiverem dificultando muito a respiração, podem ser receitados inalações para reduzir a inflamação e facilitar a passagem de ar pelos brônquios.

Como o ar seco é mais irritante para as vias aéreas, o uso de umidificadores do ambiente é uma medida útil. Os umidificadores podem ajudar a soltar o muco e aliviar a tosse, mas devem ser utilizados de acordo com as normas do fabricante para evitar o crescimento de bactérias e fungos dentro do aparelho.

É possível prevenir a Bronquite?

Se você está sofrendo ataques repetidos de Bronquite, o problema pode estar no ambiente à sua volta. Locais úmidos e poluídos (especialmente por fumaça de cigarro) são propícios para o desenvolvimento de Bronquite.

As principais medidas que você pode tomar para reduzir seu risco e proteger seus pulmões da Bronquite incluem:

  • Não fume e evite se expor à fumaça do cigarro.
  • Limpe suas mãos com freqüência. Isto reduz o risco de pegar infecções virais.
  • Se possível, utilize máscaras protetoras em ambientes empoeirados, contaminados ou antes de lidar com substâncias irritantes.
  • Converse com seu médico sobre a possibilidade de você tomar anualmente uma vacina contra Gripe.
  • Pessoas com menos de 5 anos ou mais de 65 anos de idade, especialmente se portadoras de fatores de risco para bronquite complicada (p.ex.: asma, anemia falciforme, baixa imunidade, diabetes, doença cardíaca ou enfisema), podem tomar uma vacina anti-pneumocócica a cada 5 anos.
Copyright © 2008 Bibliomed, Inc. 1º de setembro de 2008



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: