Publicidade

Artigos de saúde

Vitiligo

© Equipe Editorial Bibliomed

Neste Artigo:

- O que é a terapia de repigmentação?
- Quem mais se beneficia com a terapia de repigmentação?

O que é a terapia de repigmentação?

Para conseguir-se a repigmentação, devem ser produzidas novas células pigmentadas (ou melanócitos) a partir de outras já existentes. Assim, essas células novas devem ser obtidas a partir da base do folículo piloso, da borda da mancha na pele ou da própria mancha (caso a cor não tenha sido totalmente perdida).

Nesse tipo de tratamento, o paciente faz uso de uma medicação denominada psoraleno, sendo então exposto à radiação ultravioleta A (UVA). Essa radiação ativa o psoraleno, que estimula a repigmentação, ao aumentar a disponibilidade de células produtoras de pigmento, na pele. Essa resposta é bastante variável dependendo da constituição de cada paciente e do local no corpo.

O medicamento é ingerido aproximadamente duas horas antes da exposição à radiação, que é feita por exposição ao sol ou a uma fonte de UVA. O melhor horário para exposição ao sol é o compreendido entre 11:00 e 13:00, quando o sol está mais forte. Recomenda-se a realização do procedimento em dias alternados, já que a exposição excessiva à UVA é danosa.

O programa de tratamento é definido individualmente, e planejado também de acordo com as condições climáticas. Assim, em dias nublados e chuvosos, o paciente não precisa tomar a medicação, pois ela não agirá sem a correta exposição ao sol. Durante o inverno, geralmente o tratamento é interrompido, e esse período de descanso é favorável ao paciente. Embora o uso de fontes artificiais de UVA possam ser empregadas durante todo o ano, o paciente deverá consultar seu dermatologista, para que ele determine se tal tratamento é acessível e desejável. Existem fontes de UVA que podem ser adquiridas e utilizadas em casa, porém são de alto custo e o tratamento pode levar várias horas.

Os pacientes com vitiligo devem sempre proteger a pele contra a exposição exagerada ao sol, com o uso de roupas com cobertura adequada, evitando a exposição em horários mais fortes (fora do período de tratamento) e com o uso de protetores solares.

Os pacientes com vitiligo, devem fazer uso de protetores com fator de proteção solar (FPS) igual ou superior a 15, exceto enquanto submetidos à repigmentação. Durante a exposição solar terapêutica, recomenda-se o uso de protetor com FPS 8, o qual não bloqueia a UVA necessária para o tratamento. Para evitar-se lesões oculares, o paciente deve utilizar óculos escuros com bloqueadores de radiação adequados, durante a exposição ao sol.

Uma outra forma de utilização do psoraleno, ao invés da via oral, consiste na aplicação do medicamento na região da lesão, a qual é exposta ao sol. Pode ser empregado nos casos de manchas pequenas, dispersas. Porém, esse tipo de tratamento pode expor o paciente a um maior risco de queimadura solar grave e formação de bolhas na pele.

Aproximadamente 75% dos pacientes submetidos a essa terapia apresentam algum resultado. Mesmo nesses casos, a repigmentação completa raramente ocorre. Após as primeiras semanas de tratamento, o paciente parecerá pior, devido ao maior contraste entre a pele bronzeada e a mais clara. Porém, com o tempo, a repigmentação começa e a aparência da pele melhora. Quando o paciente interrompe o tratamento durante o inverno, a maioria consegue manter pelo menos metade da pigmentação já obtida durante os meses de exposição ao sol.

Quem mais se beneficia com a terapia de repigmentação?

Nem todos os pacientes são bons candidatos à terapia de repigmentação, sendo que os melhores resultados são obtidos nos seguintes casos:

  • Crianças e adultos jovens;
  • Perda de coloração da pele com duração inferior a 5 anos, nos casos de pacientes com mais de 20 anos de idade;
  • Os resultados são melhores em crianças acima de 10 anos, pois embora seja eficaz em crianças menores, elas são mais difíceis de interessar-se pelo método;
  • Os pacientes devem apresentar bom estado geral de saúde, não podendo apresentar sensibilidade ou alergia à luz solar. Além disso, qualquer outra doença concomitante deve ser adequadamente tratada;
  • O paciente deve ter disponibilidade para expor-se ao sol por uma a duras horas, três vezes por semana, durante os meses de verão, por período variável de dois a cinco anos;
  • Gestantes não devem ser submetidas a esse tratamento, devido aos efeitos prejudiciais do medicamento ao bebê em desenvolvimento.

Copyright © 2007 Bibliomed, Inc.                                        23 de Agosto de 2007



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: