Publicidade

Artigos de saúde

18 de outubro, Dia do Médico

Neste Artigo:

- Plantão médico
- Médicos do interior
- "Doutores" que ajudam Doutores

"Queres ser médico, meu filho? Esta é a aspiração de uma alma generosa, de um espírito ávido de ciência.
Tens pensado bem no que há de ser a tua vida?"
Esculápio

As comemorações do próximo Dia do Médico, 18 de outubro, são um reconhecimento a estes trabalhadores da saúde, que obtêm sua recompensa, quando vêem uma vida ser salva.

São anônimos sem rosto, que muitas vezes você encontra nas madrugadas, amarrotados, cansados, sem um salário digno e que cuidam de você, curam suas feridas, tratam da sua alma. Mas quem são estes seres abnegados que estão a postos, oferecendo uma mão amiga e trabalhando com dedicação e responsabilidade? Estão espalhados pelo mundo, e , como disse Epicteto: Deus escolhe seus servos ao nascerem, ou talvez antes mesmo do nascimento".

Que estas historias que incluímos aqui sejam uma mostra singular do trabalho e vocação destes trabalhadores e seu enorme aporte ao progresso deste mundo. Eles são nossos heróis de todos os dias. Vamos conhecer um pouco do trabalho destes anjos sem asas.

Plantão médico

Já passa das 2 da manhã e o que impressiona é que, apesar de tudo que já aconteceu, de todos os pacientes que foram para a UTI, para cirurgia ou para casa, o pronto-socorro continua completamente lotado e todos a postos. "O cansaço fica para mais tarde", diz um enfermeiro puncionando uma veia.

Pacientes vão chegando aos montes, parece que houve alguma catástrofe, "mas é assim o nosso dia a dia, isso aqui não para e nunca fecha as portas", diz a pediatra de plantão, tentando olhar a garganta de um pequeno que se debate ferozmente.

Às vezes, é preciso parar alguns minutos. Uma senhora espera notícias do filho que está na UTI. O médico terá que dizer que desta vez, perdeu a batalha. "A morte é nossa grande inimiga, e quando a gente perde esta luta, acaba sendo muito difícil para a gente também", comenta o médico, com a voz embargada.

A vida de um paciente não depende só dos médicos. Antes de chegar ao hospital, a batalha contra a morte começa no transporte do paciente.

O transporte dos pacientes pela cidade é complicado e difícil, nem sempre facilitado pelos outros motoristas. Correndo contra o tempo, a equipe entrega o paciente no Hospital, já com os primeiros atendimentos prestados, e tudo entra em uma temporária calmaria.

Já passa das 6 horas, o cansaço invade a sala, mas estes anjos, que atravessaram a noite, continuam firmes, empenhados em ver mais uma vida ser salva .

Médicos do interior

Quem não conhece alguma historia que envolva estes heróis infatigáveis, que cuidam desde uma unha encravada até um parto complicado? É uma tarefa difícil, que conta com poucos candidatos, que, no entanto são os mais dedicados e envolvidos, 24 horas no ar.

Mais do que tratar das doenças, a tarefa inicial ao chegar à região é ajudar a população a enfrentar e solucionar seus problemas básicos de saúde, higiene e de alimentação. As populações das pequenas cidades nunca se esquecerão dos primeiros médicos e do seu entusiasmo que nunca terminava, sempre ajudando a todos e também ajudados pelos que se interessavam.

Sua vida pessoal vai aos poucos se misturando com sua profissão. No final, a cidade se torna parte de sua família.

"Doutores" que ajudam Doutores

Intitulam-se "Doutores da alegria", não têm formação em saúde, no entanto fazem tão bem à alma dos pacientes, quanto os que cuidam do nosso corpo. Eles "pelejam" e conseguem aliviar um pouco a dor de quem os vê, a dor dos pequenos doentes e a dor de seus pais, que sofrem junto.

É assim que se vê este grupo, tão vivo e contagiante, Os Doutores da Alegria. São vários "Doutores" de nomes estranhos e existem várias equipes "trabalhando" por todo o Brasil. Tudo começou há uns 20 anos atrás, resultado da severidade com que se tratava os pacientes dentro de um hospital, com pouca abertura para outras ciências, que não fossem tão sérias quanto a medicina.

Os relatos deste "médicos" são muitas vezes emocionantes e ajudam também na realização do trabalho dos profissionais com seus pacientes, facilitando seu relacionamento e aliviando um pouco da dor e do sofrimento, principalmente quando já se esgotou o que podia ser oferecido.

Assim são os médicos: figuras que se doam e dedicam até suas horas vagas aos outros. Que estes exemplos de dedicação e amor renovem ainda mais o reconhecimento que deve ser dado a essas almas generosas.

Hoje, 18 de outubro, dê um abraço apertado em seu médico, ele merece!

Copyright © 2010 Bibliomed, Inc.                     18 de Outubro de 2010



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: