Publicidade

Artigos de saúde

Queimaduras – aprenda como evitar

© Equipe Editorial Bibliomed

Neste Artigo:

- Introdução
- Classificação
- Primeiros Socorros
- Cuidados com as Crianças
- Cuidados gerais

"As queimaduras são lesões desencadeadas por agentes físicos, nas superfícies corporais. Dependendo da causa, podem ser classificadas em térmicas, elétricas e químicas. As que ocorrem mais frequentemente são as térmicas, sendo causadas pela exposição ao calor."

Introdução

Sabe-se que, na grande maioria das vezes, a falta de cuidados é o que determina a ocorrência da queimadura. Isso é exemplificado pelo manuseio descuidado de produtos como líquidos quentes, objetos aquecidos e a presença de crianças em ambientes perigosos como a cozinha. Outras situações são: a utilização de álcool para apressar a queima do carvão, para fazer churrasco; e o manuseio inadequado de fogos de artifício.

Nesse artigo vamos abordar especificamente as queimaduras térmicas.

Classificação

As queimaduras podem ser classificadas de várias formas. Uma das principais é de acordo com a profundidade da lesão. De acordo com esse sistema, encontramos os seguintes tipos:

Queimadura de Primeiro Grau: a lesão atinge apenas a camada mais superficial da pele (a epiderme), apresentando vermelhidão local, ardência, inchaço e calor local. A dor é importante. Pode ocorrer em pessoas que se expõem ao sol por tempo prolongado e sem proteção. Quando atinge grande parte do corpo, é considerada grave.

Queimadura de Segundo Grau: a lesão atinge as camadas mais profundas da pele (a chamada derme). A característica desse tipo de queimadura é a presença de bolhas. O inchaço é importante, e a dor é bastante intensa. Como ocorre perda da camada superficial da pele, que protege contra a perda excessiva de água, nesse tipo de queimadura pode ocorrer perda intensa de água e sais minerais, levando a um quadro de desidratação grave. Esse tipo de queimadura pode ser causada pela exposição a vapores, líquidos e sólidos escaldantes.

Queimaduras de Terceiro Grau: nesse tipo de queimadura, ocorre lesão de toda a pele, atingindo os tecidos mais profundos, como os músculos. Curiosamente, esse tipo pode não ser doloroso, já que as terminações nervosas que geram a dor são destruídas junto com a pele. A cicatrização geralmente é desorganizada, gerando cicatrizes inestéticas. Comumente, requer a realização de cirurgias, com enxerto de pele retirado de outras regiões do corpo.

A classificação segundo a extensão corporal atingida leva em conta a porcentagem de superfície corporal queimada. Existem tabelas que ajudam os médicos a calcular essa porcentagem, mas para exemplificar podemos demonstrar a "regra da palma da mão". A palma da mão representa 1% da superfície corporal, de forma que, toda lesão que seja maior que a palma da mão da pessoa, deve receber atendimento especializado, após os primeiros socorros.

Primeiros Socorros

Independentemente do grau de profundidade da queimadura e da sua extensão, o primeiro cuidado é a interrupção do contato entre o agente agressor e a superfície corporal. Isso pode ser conseguido com a lavagem da área com água corrente. Esse é o melhor tratamento imediato para a queimadura.

Nas pequenas queimaduras de primeiro grau, pode-se fazer o tratamento em casa, com a aplicação de pomada de sulfadiazina de prata a 1%, que é de baixo custo e causa alívio à ardência. A única restrição é que algumas pessoas são alérgicas à sulfa, não podendo usar essa pomada. Aplicar uma fina camada dessa pomada sobre a lesão e, se possível, deixá-la exposta. Os analgésicos comuns podem ser utilizados para tratamento da dor.

No entanto, recomenda-se sempre que o paciente procure um serviço de pronto atendimento, para avaliação médica. Nesse atendimento, após avaliação da profundidade e da extensão da queimadura, procede-se à limpeza, com remoção de toda a pele morta. Após a limpeza, faz-se a aplicação da pomada de sulfadiazina, com confecção de curativo.

Nos casos mais graves, o paciente é internado e recebe soro para tratar e evitar a desidratação que, como dito acima, é muito comum em queimaduras mais profundas e extensas. Em certos casos, é necessária cirurgia para colocação de enxertos, ou mesmo para ajudar a limpar as bordas das feridas. Qualquer tecido morto que for deixado pode facilitar a ocorrência de infecções, o que torna o quadro mais grave. Por isso, é sempre importante procurar atendimento médico.

Algumas recomendações importantes:

Como já dito, utilize apenas água corrente, no tratamento imediato. Nunca aplique gelo, óleo, pasta de dente, clara de ovo. Esses agentes podem irritar ainda mais os tecidos expostos.

Se houver roupa grudada na região da queimadura, não remova! Apenas corte a mesma ao redor da lesão.

Nunca fure as bolhas!

Em casos de dúvida, sempre procure o hospital. Quando mais tardio for o início do tratamento, pior. Queimaduras na face, genitália, mãos e pés são sempre consideradas graves, devendo ser procurado atendimento hospitalar imediatamente.

Mantenha os números de emergência próximos e ensine às crianças como discá-los.

Em casos de queimaduras químicas, remova as roupas e esfregue pó seco nas lesões, e depois lave abundantemente.

Em queimaduras elétricas, retire o fio da tomada ou desligue a energia geral. Nunca toque na vítima enquanto ela estiver em contato com a eletricidade. Toda vítima de queimadura elétrica deve ser levada ao hospital.

Lembrar que a inalação de fumaça pode causar queimaduras nos pulmões e brônquios, mesmo que não haja queimadura externa visível.

Cuidados com as Crianças

As crianças com idade inferior a 5 anos estão em risco bastante aumentado de queimaduras. Isso devido a vários fatores como: pele mais fina; demora a reagir; pouca agilidade; grande curiosidade. No entanto, alguns cuidados ajudam a reduzir esse risco.

Crianças com idade inferior a 1 ano

Não segure a criança no colo enquanto estiver ingerindo líquido quente ou cozinhando.
Evite aquecer a mamadeira ou os alimentos no forno de microondas, pois o aquecimento não é uniforme.
Teste a água do banho com o dorso da mão ou com termômetro, antes de colocar a criança.
Mantenha objetos aquecidos, como cigarros e ferro de passar, longe do alcance da criança.
Manter produtos de limpeza fora do alcance.
Usar protetores de tomadas elétricas.

Crianças com idade entre 1 e 3 anos

Não utilizar equipamentos com fios danificados ou partidos.
Nunca deixe a criança sozinha na banheira. Elas podem ligar a água quente, cair ou se afogar rapidamente.
Ensine a criança a não puxar objetos como toalha de mesa, fios e outros.
Deixar os cabos das panelas voltados para o lado interno do fogão. Não permitir a presença de crianças próximas ao fogão, churrasqueira.

Crianças com idade entre 3 e 5 anos

Nessa idade, elas podem começar a ser treinadas na prevenção de incêndios e queimaduras. Elas já têm idade suficiente para reconhecer o som de um detector de fumaça.
Usar apenas isqueiros com dispositivo protetor de acendimento acidental.
Ensinar à criança as diferenças entre brinquedo e palito de fósforo.

Crianças com idade entre 5 e 12 anos

Planejar e praticar as saídas em caso de incêndio.
Conversar sobre a segurança na cozinha.
Ensinar sobre o uso do forno de microondas, forno elétrico e aquecedores.
Manter líquidos inflamáveis fora de vista e de acesso.

Cuidados gerais

Os seguintes cuidados são universais:

Evite fumar. Se fumar, evite fazê-lo deitado.
Utilize cinzeiros fundos e com proteção lateral.
Evite manipular álcool próximo a cigarros, charutos, fósforos acesos.
Investigue vazamentos de gás.
Feche a válvula do botijão de gás, antes de sair de casa e antes de ir dormir.
Mantenha o botijão de gás longe do calor direto e sempre na vertical.
Manipule os fogos de artifício com cuidado.
Evite o uso de bronzeadores caseiros.
Não utilizar álcool engarrafado diretamente sobre o fogo, na forma de jato, pelo risco de explosão.
Nunca considere uma queimadura sem importância.
Não tente tratar queimaduras de acordo com conselhos de vizinhos, balconistas de farmácia.
Fogo e bebida não combinam. Evite essa associação.

Copyright © 2012 Bibliomed, Inc.    Publicado em 06 de junho de 2011.    Revisado em 04 de junho de 2012



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: