Publicidade

Artigos de saúde

Disidrose - Saiba como combater este mal

Neste Artigo:

- Introdução
- O Que É
- Termo Inadequado
- Queixas Freqüentes
- Múltiplas Causas
- Tratamento

"O termo de denominação da doença é inadequado e, normalmente, pronunciado e escrito de forma incorreta - desidrose. Na verdade, a disidrose não está relacionada ao suor, como muitos pensam. São lesões que surgem, exclusivamente nas mãos e pés, e possuem um líquido viscoso resultante de processos inflamatórios".

Introdução

A disidrose possui muitas causas identificadas e reconhecidas pela Medicina. É interessante notar, entretanto, que a população atribui à disidrose as mais diversas causas sem comprovação científica. Assim, não é raro as pessoas suspeitarem que a doença se deve ao aumento do ácido úrico no organismo, a problemas renais ou ainda ao uso excessivo do álcool.

O Que É

A disidrose é caracterizada pelo aparecimento de erupções cutâneas de caráter reincidente (que reaparecem com freqüência). São formadas vesículas, isoladas ou confluentes (aglomeradas), com conteúdo geralmente viscoso.

As lesões acometem, exclusivamente, as mãos e os pés. Entende-se por vesículas, lesões da pele de conteúdo líquido, com até um centímetro de diâmetro. Acima de um centímetro, são chamadas de bolhas.

Quando o líquido sofre ressecamento, formam-se crostas e, quando as lesões involuem, formam-se escamas. Portanto, conforme a fase evolutiva da disidrose, será observada a presença de vesículas, crostas ou escamas.

Termo Inadequado

A palavra disidrose é composta pelo prefixo dis, que significa defeito, falha ou dificuldade e hidrose, que representa a produção de água ou suor.

"Sua origem remonta às primeiras descrições da doença, quando se supunha que as vesículas representavam gotas de suor que não conseguiam ser eliminadas e ficavam retidas na pele. Hoje sabe-se que o líquido existente no interior das lesões nada tem a ver com o suor ou água. A palavra disidrose, embora imprópria, tornou-se clássica e continua sendo empregada", destaca o médico dermatologista Bernardo Gontijo, coordenador do Curso de Pós-Graduação em Dermatologia da Faculdade de Medicina da UFMG. O líquido no interior da vesícula é inflamatório, ou seja, extravasamento resultante de inflamação.

Queixas Freqüentes

O desconforto gerado pelas lesões é extremamente variado, embora a coceira (prurido) seja uma queixa freqüente. A disidrose pode ser completamente assintomática (sem presença de sintomas), coçar pouco, coçar intensamente, apresentar ardor quando há fissuras na pele, e assim por diante.

Múltiplas Causas

Vários fatores podem resultar no aparecimento das lesões da disidrose. Infecções fúngicas, como algumas micoses cutâneas podem se manifestar com lesões disidrosiformes. Nesse caso, o fungo está presente dentro das vesículas.

A disidrose pode representar também uma reação desabitada (isto é, sem fungos), mas que está à certa distância de um foco primário (outro tipo de lesão) habitado por fungos. "É comum encontrarmos pacientes com micoses nas unhas dos pés ou nos espaços entre os dedos ("frieira") e que apresentam disidrose nas mãos, como conseqüência desse foco. Uma vez curada a infecção no pé, as lesões de disidrose das mãos desaparecem automaticamente e sem necessidade de tratamento", explica o médico.

Outra causa conhecida é a farmacodermia. Como explica o Dr. Bernardo Gontijo, alguns medicamentos, como a penicilina, podem produzir reações cutâneas disidrosiformes. A dermatite de contato também é um fator de relevância. Trata-se de um quadro provocado por substâncias que, em contato com a pele, por mecanismos alérgicos ou simplesmente por irritação, pode desencadear erupção disidrótica.

Como esclarece Dr. Bernardo Gontijo, a disidrose é um padrão individual de reação. Ou seja, uma pessoa desenvolve uma dermatite de contato pela substância X e apresenta lesões disidrosiformes. Já uma outra pessoa, em contato com a mesma substância, desenvolve uma dermatose completamente diferente, que não a disidrose. "Portanto, não é a natureza da substância de contato que determina se a lesão é ou não disidrose e sim o padrão de reação de cada pessoa", explica o dermatologista.

A dermatite atópica, uma doença inflamatória crônica da pele, de causa desconhecida e freqüentemente associada à bronquite asmática e à rinite alérgica, se manifesta por diferentes tipos de lesões. A disidrose pode ser uma manifestação comum da dermatite atópica.

Também o estresse e alterações emocionais são citados freqüentemente como causa de disidrose. "Tal fato pode ser verdadeiro ou simplesmente refletir nossa incapacidade ou dificuldade em determinar a real origem do processo", argumenta Dr. Bernardo Gontijo.

Tratamento

As formas terapêuticas da disidrose variam conforme a causa. Um problema é a dificuldade para se detectar com precisão a verdadeira causa da disidrose. Algumas vezes, mesmo quando identificada a causa, sua eliminação é difícil ou até mesmo impossível, como no caso dos fatores emocionais. Dependendo da causa, o tratamento é medicamentoso. É essencial a avaliação médica para realização do tratamento adequado.

Copyright © 2003 Bibliomed, Inc.                                        16 de Outubro de 2003



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: