Publicidade

Artigos de saúde

Exercício Físico e Saúde Mental

Neste Artigo:

- Mudando a rotina
- Prós e Contras
- Reconhecendo o próprio corpo
- O Grupo Ramazzini de Médicos do Trabalho
- Sugestões para a Prática da Atividade Física

"A interação mente-corpo está sendo cada vez mais alvo de interesse por parte não apenas dos médicos e dos atletas profissionais, mas da população em geral e das empresas. Uma onda de práticas esportivas, envolvendo mais e mais pessoas, está motivando profissionais da área de saúde a focarem sua atenção na estreita relação que existe entre o exercício físico e o bem-estar emocional. As empresas estão também se mobilizando para proporcionar aos empregados momentos de lazer em que se incluam exercícios físicos, apostando em um retorno positivo em termos de produtividade e de integração com os funcionários. Em entrevista ao Boa Saúde, Dr. Renato Monteiro, médico do trabalho, esclarece alguns desses pontos".

Mudando a rotina

Cresce a cada dia o número de centros especializados em treinamento e condicionamento físico que são procurados pelas empresas para fazer parte das atividades recreativas e de lazer entre seus funcionários. Professores de educação física, fisioterapeutas, médicos do trabalho, terapeutas ocupacionais e monitores para exercícios em grupo são profissionais que muitas vezes, fazendo um trabalho combinado, podem elevar o ânimo dos operários de uma fábrica com o uso de exercícios diários. A razão disso é que as empresas já descobriram que transtornos como a ansiedade e a depressão podem significar perdas importantes para seus projetos e isso vem facilitando um novo raciocínio: ainda dentro da rotina de trabalho, os funcionários podem se exercitar, e conseqüentemente relaxar, sem que isso seja considerado ociosidade.

Prós e contras

Em princípio, todo e qualquer exercício é benéfico e pode contribuir para a saúde mental. No entanto, exercícios nunca devem começar a ser feitos sem que a pessoa saiba quais são suas reais condições de saúde. Pessoas com problemas cardíacos, gestantes, portadores de algum problema ósseo ou articular devem sempre consultar um médico do esporte para saber quais são os exercícios adequados e permitidos para o seu caso. Mesmo as pessoas saudáveis, a título de prevenção, devem se preparar – conhecer o próprio corpo, fazer exames médicos e saber até onde podem ir com um esporte ou ginástica é fundamental para que os exercícios dêem os resultados esperados.

Igualmente, os exercícios não devem ser iniciados com ‘força total’. A pessoa não habituada a práticas físicas deve começar devagar, aumentando aos poucos os movimentos e a freqüência destes, de forma a habituar o corpo à sua nova rotina agora mais dinâmica.

E não é mais preciso forçar a própria natureza para fazer exercícios, pois opções é que não faltam: aeróbica, jogos esportivos, caminhada, exercícios dentro da água, exercícios com acompanhamento de músicas. A pessoa interessada em começar a se exercitar, hoje, pode e deve escolher o tipo de exercício que lhe seja prazeroso e acessível ao seu corpo. Influenciados pelo modismo, muitos indivíduos correm o risco de escolher para sua prática física um esporte que não combine com suas habilidades motoras ou com seu estilo de vida, e isso pode levar à desmotivação e ao abandono precoce das atividades.

Reconhecendo o próprio corpo

Ao iniciar a prática de exercícios físicos, tudo é novo e estranho. Alguns tipos de exercícios, por exemplo, podem requisitar mais esforço muscular do que outros, ou um tipo de movimento que a pessoa não está habituada a fazer.

O que é comum entre todas as pessoas que se exercitam fisicamente é uma maior energia e uma sensação de bem-estar, além de uma sensação de "eu posso", "eu consigo". Isso deve ser feito gradualmente, de preferência sempre com a ajuda de um profissional. Não é preciso apostar corrida ao redor de um bosque com um corredor já treinado para tanto. A prática de exercícios não é uma competição com as outras pessoas, mas uma superação dos próprios obstáculos, uma competição consigo mesmo. E o corpo responde a todos os estímulos, dando sinais importantes ao ‘novo atleta’: mais energia e vigor durante o dia, soluções para os problemas rotineiros vêm à mente com maior clareza e rapidez, idéias novas brotam como que do nada. Com persistência e treino, cada dia pode significar uma realização. Mas é preciso ter uma meta, ao começar a fazer exercícios, e observar os próprios limites.

Que objetivo eu pretendo atingir?, é a pergunta que algumas academias de ginástica propõem aos seus alunos. E os objetivos variam: pessoas entrevistadas em um parque apontaram, entre eles, o prazer de estar caminhando ao ar puro, mudar a rotina, emagrecer, prolongar a saúde, recuperar-se de um tratamento ou simplesmente estar em companhia de outras pessoas. Reconhecer quais os exercícios mais adequados para sua idade, peso, condição de saúde é fundamental para alcançar esses objetivos.

O Grupo Ramazzini de Médicos do Trabalho

O Grupo Ramazzini, formado por médicos do trabalho, é bastante envolvido com as práticas esportivas e todos os tipos de exercícios físicos. O grupo se reúne mensalmente em atividades científicas e de aprendizado com troca de experiências, palestras, visitas a empresas, instituições, Universidades, etc.

O BoaSaúde entrevista Dr. Renato Monteiro, cirurgião, clínico, médico do trabalho, especialista em medicina do trabalho pela ANAMT (Associação Nacional de Medicina do Trabalho), coordenador do Grupo Ramazzini de médicos do Trabalho de Campinas e região.

BoaSaúde: Qual é a relação entre exercícios físicos e a saúde mental?
Dr. Monteiro:
A atividade física auxiliando a saúde mental já é algo conhecido de longa data, inclusive a máxima "mente sã em corpo são" (mens sana in corpore sano) exprime bem essa relação, significando o quanto os exercícios físicos nos levam a uma mente saudável.

BoaSaúde:
De que forma os exercícios ajudam a oxigenar o cérebro, que tipo de hormônios o organismo libera e quais os seus fatores positivos?
Dr. Monteiro:
Os exercícios físicos atuam aumentando o fluxo sangüíneo nos tecidos, havendo, por conseguinte, um aumento na oferta de oxigênio. Esse elemento (o oxigênio), segundo os orientais, é considerado como a energia vital denominado "chi" (pronuncia-se "qui"). Ao realizarmos exercícios, existe um aumento na quantidade de hormônios circulantes no organismo, os quais aumentam o metabolismo e fazem nosso corpo "trabalhar" em um ritmo mais intenso, deixando-o "treinado" para outros momentos em que necessitemos desse preparo físico. Hoje, é sabido que o simples fato de caminhar libera endorfinas, substância essa que, entre outras coisas, diminui a sensação da dor.

BoaSaúde:
Qual é o melhor horário para se praticar exercícios e a que distância dos horários das refeições?
Dr. Monteiro:
A atividade física deve ser praticada moderadamente, sempre dentro dos limites de cada pessoa, pois a exposição à exaustão em condições não ideais (muito calor, muito frio, "estômago cheio") não conduz ao resultado positivo desejado.

BoaSaúde:
Que pessoas respondem melhor aos exercícios físicos, homens ou mulheres? Existe essa distinção?
Dr. Monteiro:
Não, não existe diferença de sexo para a atividade física.

BoaSaúde:
Existe algum livro especialmente indicado para este assunto 'exercício físico e saúde mental', para a comunidade leiga?
Dr. Monteiro: A quantidade de livros existente sobre o assunto é bastante extensa, inclusive com abrangência de tópicos específicos, sendo facilmente encontrados nas livrarias tradicionais.

BoaSaúde:
Os exercícios físicos podem reduzir o índice de cirurgias, de doenças e de faltas ao trabalho? Por quê?
Dr. Monteiro:
Desconheço qualquer estatística mostrando a redução do índice de cirurgias nas pessoas que cultivam os exercícios físicos, mas é bem conhecido seu efeito benéfico, principalmente na área cardiovascular (coração - pressão arterial- colesterol).

BoaSaúde:
O que é melhor - exercícios feitos em grupo, ou individualmente?
Dr. Monteiro:
Cada pessoa tem uma preferência, sendo que não existe diferença entre ser feito em grupo ou individualmente, o que realmente "conta" é fazê-lo com freqüência e constância.

BoaSaúde:
Conhece empresas que empregam exercícios físicos, para melhorar o desempenho dos funcionários? Como isso se dá?
Dr. Monteiro:
As empresas modernas estão se voltando para a realização de exercícios físicos dirigidos para melhoria no preparo dos músculos utilizados durante o trabalho, da mesma maneira que o atleta faz o "aquecimento e alongamento" antes do esporte – o princípio é o mesmo.

BoaSaúde:
Quais seriam as descobertas mais recentes sobre exercícios e o equilíbrio mental?
Dr. Monteiro:
O Ocidente está descobrindo agora o que o Oriente faz há milênios, ou seja, o uso de técnicas próprias tipo Tai Chi Chuan e outras para a harmonização interior.

Sugestões para a Prática da Atividade Física

De acordo com o Prof. Tony Meireles dos Santos, do Center for Desease Control (1996), algumas sugestões para a prática da atividade física, bastante úteis para quem deseja beneficiar-se delas e, com isso, alcançar mais saúde, de uma forma geral, e, especificamente, um estado maior de equilíbrio, inclusive mental.

- Para iniciar sua atividade com mais segurança, consulte um médico e um professor de educação física;
- Escolha as atividades que você realmente goste;
- Selecione horários e opções compatíveis com seu estilo de vida;
- Nos primeiros meses, objetive valores como prazer, sucesso na realização das atividades, satisfação pessoal etc.;
- Incorpore a atividade física ao seu dia a dia: ande mais a pé, suba mais escadas, pratique mais esportes etc.;
- Se possível, selecione as atividades que possam ser realizadas com seus amigos e/ou família.

Copyright © 2000 eHealth Latin America      18 de Setembro de 2000



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: