Publicidade

Artigos de saúde

Peso Excessivo: Programa para Redução de Peso

Definição

-
Seu filho parece estar com excesso de peso se estiver pesando mais de 20% acima do peso ideal para sua estatura.
- A espessura da prega cutânea que corresponde à capa de gordura do braço é de mais de 25 milímetros, quando medida com instrumento especial.

Mais de 25% das crianças norte-americanas têm excesso de peso.

Causas

A tendência à obesidade geralmente é hereditária. Se um dos pais é obeso, a metade dos filhos também o será. Se ambos os pais têm excesso de peso, a maioria dos filhos será obesa. Se nenhum dos pais tem excesso de peso, os filhos têm apenas uns 10% de chance de vir a ser obesos.

A tendência por si só (sem comer em excesso) é responsável por quase todos os casos de obesidade leve, enquanto a obesidade moderada geralmente se deve a uma combinação de tendência, excesso de comida e falta de exercícios. Alguns excessos na alimentação são normais em nossa sociedade, mas apenas os que têm tendência hereditária à obesidade aumentarão de peso quando comem demais. Portanto, não é razoável culpar seu filho por ser obeso.

Menos de 1% dos casos de obesidade são causados por problemas de saúde. O médico pode determinar se a obesidade de seu filho tem uma causa física facilmente por meio de um exame físico simples.

Evolução prevista

É muito difícil baixar o peso e conservar a perda de peso. O melhor momento para que seu filho reduza de peso será quando tiver mais de 15 anos de idade, pois estará mais preocupado com a aparência física. O adolescente que tem sua própria motivação pode seguir uma dieta e baixar o peso, não importando o que a família coma. Ajudar os filhos a baixar o peso entre 5 e 15 anos de idade é muito difícil, porque eles têm acesso a muitos alimentos fora de casa e não é fácil motivá-los para que baixem de peso. Ajudar uma criança com menos de 5 anos a reduzir o peso não é tão difícil, porque os pais têm mais controle sobre os alimentos oferecidos.

Como ajudar as crianças maiores e adolescentes a baixar de peso

1. Motivação e disposição

Os adolescentes podem aumentar sua motivação associando-se a um clube para baixar de peso (tais como o Vigilantes do Peso, Comedores Compulsivos Anônimos). Algumas vezes, as escolas oferecem aulas para ajudar as crianças a baixar o peso. A motivação de uma criança também pode aumentar se toda a família iniciar um programa de dieta e exercícios. Um programa de perda de peso onde cooperam pais e filhos com metas individuais normalmente é mais útil do que um programa competitivo direcionado pelo desafio de quem perde peso mais rápido.

2. Como proteger a auto-estima de seu filho

A auto-estima é mais importante do que o peso ideal. Se seu filho é obeso, provavelmente já está desiludido consigo mesmo. Ele precisa que sua família apóie-o e aceite-o tal qual é. A auto-estima da criança pode reduzir-se ou destruir-se com pais que se preocupam demais com o peso da criança. Evite cair nas seguintes armadilhas:

- Não diga para a criança que ela está gorda. Não fale sobre seu peso a menos que ele mesmo começe o assunto.
- Não tente fazer com que a criança siga uma dieta estrita. As dietas são desagradáveis. Iniciar uma dieta deve ser decisão de seu filho.
- Não limite a comida de seu filho se ele diz que tem fome. Quando você não permite que a criança coma, eventualmente ele comerá de maneira excessiva.
- Não repreenda a criança por seu peso ou por hábitos alimentares.

3. Estabelecer objetivos para a perda de peso

Escolha um objetivo que seja razoável, de acordo com a estrutura óssea e o grau de obesidade de seu filho. A perda de meio quilograma por semana é um objetivo realizável, mas seu filho terá que trabalhar muito para manter este ritmo de perda de peso por várias semanas; pesar-se diariamente gera muitas falsas esperanças ou frustração. Quando baixar o peso tornar-se um esforço muito grande, faça com que seu filho interrompa o programa por algumas semanas para descansar. Neste período, ajude-o a manter o peso constante.

Uma vez que seu filho tenha alcançado o peso que havia sido proposto como objetivo, a meta a longo prazo é manter um peso que não se altere em mais de 2.5Kg em torno deste objetivo. Manter um determinado peso é possível apenas mediante moderação constante dos alimentos. Seu filho provavelmente sempre tenderá a aumentar facilmente de peso, e é importante que ele entenda isto.

4. Dieta: Diminuição do consumo de calorias

Seu filho deverá fazer diariamente três refeições bem balanceadas, com porções de tamanho normal. Não existem alimentos proibidos; seu filho pode comer uma porção de qualquer coisa que sua família ou amigos coma. Porém, existem porções proibidas. Enquanto seu filho estiver reduzindo o peso, ele deve levantar-se da mesa com um pouquinho de fome. Seu filho não pode baixar de peso se comer até ficar farto (satisfeito). Incentive-o para que coma porções normais ao invés de porções grandes e que não se sirva de uma segunda porção. Tentar apressar o processo com jejum, dietas drásticas ou pílulas dietéticas poucas vezes dão bons resultados e pode ser perigoso. As dietas apenas com líquidos só são seguras se forem levadas segundo instruções médicas.

A contagem de calorias é útil para algumas pessoas, mas geralmente requer tempo demais. Considere as seguintes orientações gerais sobre o que seu filho pode comer ou beber:

- Líquidos: indique a ingestão de líquidos com baixas calorias como leite desnatado, suco de frutas diluído em água, bebidas dietéticas, ou água mineral com sabor. Como o leite tem muitas calorias, seu filho não deverá tomar mais do que 480ml por dia de leite desnatado, com 1 ou 2% de gordura. Não deve tomar mais do que 240ml de suco por dia. Todos os demais líquidos consumidos devem ser água ou bebidas dietéticas. Estimule seu filho a tomar 6 copos de água por dia.
- Alimentos: Sirva menos alimentos gordurosos (por exemplo: ovos, toucinho, salsichas e manteiga). Uma porção de gordura tem o dobro de calorias do que a mesma porção de proteína ou carboidrato. Retire a gordura das carnes. Sirva mais alimentos grelhados, assados, fervidos ou cozidos no vapor e menos alimentos fritos. Sirva mais frutas, hortaliças, saladas e cereais.
- Sobremesas: Estimule o consumo de porções menores do que as normais. Sirva mais gelatina e frutas frescas como sobremesa. Evite as sobremesas com muita gordura. Não incentive repetições.
- Lanches: Sirva somente alimentos com baixas calorias, tais como hortaliças cruas (tiras de cenoura, tiras de aipo, tiras de batata crua, pepinos, etc.), frutas cruas (maçãs, laranjas, melão, etc), pipocas, ou bebidas gasosas dietéticas. Limite os lanches a dois por dia.
- Vitaminas: Durante o programa de redução de peso, dê a seu filho um comprimido de complexo vitamínico por dia.

5. Hábitos Alimentares

Para contrabalançar a tendência ao aumento do peso, seu filho deve aprender bons hábitos alimentares que persistirão por toda a vida. Você pode ajudá-lo a baixar de peso e manter a perda fazendo o seguinte:

- Faça com que seu filho não omita nenhuma das três refeições básicas.
- Estimule o hábito de tomar um copo de água antes das refeições.
- Sirva porções menores.
- Sugira a ele que mastigue os alimentos devagar.
- Sirva uma segunda porção apenas se seu filho houver esperado 10 minutos após terminar a primeira.
- Não compre lanches com alto conteúdo calórico, como batata frita, caramelos ou bebidas gasosas não dietéticas.
- Compre e tenha sempre disponíveis bebidas gasosas dietéticas, frutas frescas e hortaliças.
- Deixe à vista somente lanches com poucas calorias, por exemplo, frutas. Guarde a caixa de biscoitos.
- Armazene alimentos apenas na cozinha. Mantenha-os fora dos demais cômodos.
- Não ofereça mais de dois lanches por dia. Desestimule o hábito de "beliscar" durante o dia inteiro.
- Em sua casa permita apenas que se coma na cozinha ou copa. Desestimule o costume de comer enquanto assiste televisão, estuda, anda de carro ou vai às compras. Uma vez que o fato de comer esteja associado à estas atividades, o corpo aprende a esperar por alimento.
- Desestimule o hábito de comer sozinho.
- Faça com que a recompensa por um trabalho ou estudo difíceis seja ir ao cinema, ver televisão, ouvir música ou um livro, ao invés de algum alimento.
- Se seu filho estiver de acordo, ponha no refrigerador e no espelho do banheiro etiquetas com lembretes que digam "COMA MENOS" ou "CONTINUE COM O PROGRAMA".

6. Exercícios: aumento do consumo de calorias

O exercício diário pode acelerar a perda de peso e aumentar a sensação de bem estar físico. A forma mais eficiente de baixar o peso é a combinação de dieta e exercícios. Experimente as seguintes formas de exercícios:

- Caminhar ou andar de bicicleta em vez de andar de carro.
- Usar as escadas ao invés dos elevadores.
- Aprender novos esportes. A natação e o atletismo são esportes que queimam o maior número de calorias. É possível que a escola de seu filho tenha uma aula de exercícios aeróbicos.
- Dar grandes passeios com o cachorro.
- Dedicar 30 minutos por dia para exercícios ou dança com música de discos ou da televisão.
- Usar bicicleta ergométrica enquanto assistir televisão, limitar o tempo de ver televisão a 2 horas ou menos por dia).

7. Promova atividades sociais que previnam o pensar nos alimentos

Quanto mais atividades ao ar livre seu filho tiver, mais fácil será para que ele reduza o peso. O ócio estimula o hábito de "lambiscar". Quase todo o consumo de lanches acontece entre as 15:00 e 18:00h. Ajude seu filho a se manter ocupado depois da escola com atividades como música, teatro, esportes ou reuniões com um grupo de escoteiros. Um trabalho em tempo parcial após a escola pode ser útil. Na falta de outra opção, estimule seu filho a visitar ou chamar outros amigos para casa. A vida social ativa quase sempre resulta em uma redução de peso.

Procure ajuda médica se:

-
Seu filho não tiver melhorado seus hábitos alimentares e de exercícios após experimentar este programa por 2 meses.
- Seu filho comer demais e impulsivamente.
- Perceber que recrimina constantemente seu filho por seus hábitos alimentares.
- Seu filho quiser perder peso e não precisar disto.
- Suspeitar que seu filho esteja deprimido.
- Seu filho não tiver amigos íntimos.
- Tiver outras perguntas ou preocupações

Escrito por B.D. Schmitt, M.D., autor de "Your Child's Health", Bantam Books.
Copyright 1999 Clinical Reference Systems



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: