Publicidade

Artigos de saúde

Cáries e Gravidez

© Equipe Editorial Bibliomed

Neste artigo:

- A importância do controle e prevenção
- Papel
- Controle
- Cuidados com o futuro bebê
- Gravidez e geração sem cáries

A importância do controle e prevenção

Como a mais prevalente doença que atinge a cavidade bucal, a cárie é ainda um dos grandes problemas na área de saúde bucal, além de ainda ser comum durante a gravidez. A sua incidência causa desde o desconforto nos estágios iniciais, até mutilações com sérias consequências psicológicas e estéticas em função de perdas dentais, nos casos mais avançados. O que fazer diante de tal situação? Quem responde a pergunta é a odontóloga Christianne Assis lembrando que a prevenção e a adoção de programas preventivos ainda são as palavras chave.

Prevenção e a adoção de programas preventivos ainda são as palavras chave quando o assunto é cárie na gestação. Depois de instalada a cárie, o recurso é tratá-la. Então procurar um dentista é fundamental para tratamento, que vai estabelecer uma recuperação do dente já atingido pela cárie, além de fornecer todas as orientações necessárias sobre um outro problema que pode acontecer durante a gravidez que é o sangramento gengival.

Até recentemente, o cirurgião dentista limitava a sua ação na restauração dos dentes danificados, porém está comprovado que só isto não é o suficiente. Os métodos convencionais de combate à cárie através de procedimentos curativos são clinicamente irrealistas. Podem acontecer as chamadas recidivas, ou seja, a repetição de cáries, em consequência da microbiota oral/individual e a sua atividade cariogênica, o reforça a importância da prevenção da sua prevenção.

Papel

Vários estudos revelam que as mães são fontes de bactérias cariogênicas para as crianças podendo ser ainda consideradas como responsáveis pela contaminação e infecção dos filhos. Tudo isto somado aos hábitos prejudiciais a um meio bucal favorável às lesões pode se transformar em uma "janela de infecção". Portanto, a prevenção é e sempre será a palavra chave, tanto para as cáries, como para a saúde de uma maneira geral. É preciso evitar sempre a "janela de infecção", pois assim quebra-se um ciclo que favorecer as crianças, como também promover a saúde bucal das mães.

Na consulta a um especialista, caso já tenha se estabelecido qualquer problema o tratamento é curativo. Além disso, normalmente são avaliados também problemas como sangramento gengival, higiene e limpeza, além da orientação sobre a alimentação.

Para evitar a cárie, algumas regras básicas, mas primordiais inclusive para qualquer pessoa, como a orientação, o reforço da higiene bucal e dieta alimentar, como também os cuidados necessários para que as gestantes não sejam um elemento difusor da cárie para o filho. Isto porque, a cárie é antes de tudo uma doença infecto-contagiosa.

Controle

Para evitar este problema tem-se que fazer ainda um controle individual. Isto é, a higienização que tem por objetivo o controle da placa que pode ser eliminada através da escovação correta e o uso de fio dental, podendo ainda ser associados os bochechos com os produtos disponíveis no mercado. Por outro lado, ela ratifica ainda sobre a diminuição da frequência do uso do açúcar.

Com relação ao controle clínico, a dentista informa que normalmente, o profissional utiliza-se dos recursos de profilaxia com a adoção do flúor, o reforço de um programa de prevenção e o acompanhamento constante, caso algum problema venha a ocorrer. Os cuidados preventivos clínicos devem ser praticados pelo profissional como responsável pela qualidade da saúde bucal do paciente. Além disso, o ideal seria a integração de uma equipe multidisciplinar de médicos, odontólogos, com uma participação efetiva da gestante - uma relação de cumplicidade a favor da promoção da saúde.

A gravidez planejada ainda é , na qual, a futura mãe procurasse um especialista para uma avaliação e tratamento, antes de decidir o período para engravidar. Assim, ao longo dos anos poderíamos ser responsáveis por uma geração mais preocupada com a prevenção e até futuras gerações e no caso, mães com menor número de problemas bucais.

Cuidados com o futuro bebê

Durante muito tempo, o atendimento e a assistência odontológica curativa e preventiva para as crianças, iniciava-se aos 3 anos de idade. Segundo estudos mais recentes, a primeira visita ao dentista deveria acontecer por volta dos 12 meses de idade. Várias pesquisas realizadas demonstraram que, já no primeiro ano de vida do bebê, existe a presença de hábitos inadequados como, por exemplo, a ausência de procedimentos de higiene bucal (68,66%) e amamentação noturna, no peito e/ou mamadeira (86,57%). Vários estudos comprovaram que quase 6% dos bebês possuíam uma alta frequência no consumo de açúcar; 33% foram contaminados pelas mães através da saliva e cerca de 13% apresentam lesões cariosas já no primeiro ano de vida. Assim fica ainda mais reforçada a questão da prevenção da saúde bucal. O sucesso em obter crianças livres de cárie, é evidência da implementação precoce da prática preventiva e que a cárie tipo mamadeira é um exemplo de um inadequado programa de saúde bucal.

A prevenção da doença cárie em bebês inicia-se com a educação dos pais. Como os pais usualmente não têm acesso às informações para orientá-los em relação à saúde bucal de seus filhos, exceto através da conversa com dentistas, a saúde bucal das crianças está na relação direta do grau de informação dos pais. Outros, no entanto, não têm consciência da necessidade dos cuidados precoces dos dentes, sendo observado que a maioria das crianças sequer foram examinadas por dentistas a menos que tenham alcançado a idade escolar, quando o exame dentário é realizado. A visita precoce além de estabelecer uma relação amigável com a introdução dos cuidados para a saúde bucal para criança e pais, estabelece decisões críticas e fundamentais com respeito a padrões de amamentação, suplementação de flúor e programa de higiene bucal.

Gravidez e geração sem cáries

O trabalho de uma equipe multidisciplinar é fundamental para a prevenção. O médico obstetra e o pediatra, deveriam fornecer esclarecimentos básicos de orientações em relação a hábitos de higiene bucal, dieta, sucção e na época de encaminhamento ao dentista, pois raramente a criança vai ao dentista no primeiro ano de vida, a não ser por traumatismo e doenças da boca.

A gravidez é uma fase ideal para o estabelecimento de bons hábitos, pois a gestante mostra-se psicologicamente receptiva em adquirir novos conhecimentos e a mudar padrões que provavelmente terão influências no desenvolvimento da saúde do bebê. A participação dos professores é muito importante, uma vez que a frequência de crianças em tenra idade, nas escolas, tem se transformado fato comum. Desta forma, os professores atuariam como importantes auxiliares nos métodos de prevenção e, após receberem orientações, promoveriam a educação dos pais para a saúde bucal de seus filhos. Mesmo objetivo teria a participação das outras áreas afins, principalmente aquelas que lidam com crianças menores de três anos de idade.

A prevenção da manifestação da doença cárie, se faz necessário o mais precoce possível, iniciando no período de gestação, através da utilização de métodos educativos e preventivos, assim como a participação e integração das áreas afins

Copyright © 2016 Bibliomed, Inc.   28 de setembro de 2016.



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: