Publicidade

Artigos de saúde

Meu filho enxerga bem?

Neste Artigo:

- Baixa acuidade
- Período Certo
- Acidentes
-
Avaliação

Baixo rendimento escolar, falta de atenção, sentar muito perto da televisão, não enxergar no quadro negro, preguiça e distração da criança são alguns pontos que os pais e professores devem estar atentos. A atenção aos problemas oculares na infância deve começar mais cedo, até mesmo logo após seu nascimento.

Já no berçário o neonatologista pode pedir uma interconsulta oftalmológica, muito comum durante o acompanhamento de prematuros e como prevenção de problemas oculares que possam aparecer desde o nascimento. Outra situação importante é quando a mãe apresentou doença infecto-parasitária na gravidez, como a toxoplasmose, por exemplo.

O fato da criança não informar se está enxergando bem ou não, não impossibilita o exame, pois atualmente já existem métodos que avaliam a integridade anatômica e funcional das diversas partes do olho.

Baixa acuidade

Quando os pais perceberem qualquer alteração nos olhos dos filhos, eles devem ser levados ao oftalmologista, independentemente da idade.

As queixas ou motivos de consulta, mais comuns nas crianças, são os casos de lacrimejamento, estrabismo ou olho torto, presença de secreção purulenta, uma maior sensibilidade à claridade, o piscar de olhos excessivo, o nistágmo (olhos que tremem) ou quando a criança se aproxima muito dos objetos para enxergar. Também é importante investigar, se uma diminuição da visão, não está ocasionando quedas freqüentes, choque com objetos, ou ser a causa de um baixo rendimento escolar.

Período Certo

Pais e orientadores devem ainda recorrer a um médico, mesmo que esta criança não apresente qualquer queixa com relação aos problemas de visão. Isto porque o período ideal, para uma avaliação oftalmológica deve acontecer entre os 5 e 6 anos de idade, já que é o período ideal de vida no qual ainda se pode tratar grande parte dos problemas, com relativo sucesso.

Normalmente existe uma reação do adulto a respeito ao uso dos óculos, fato que geralmente influencia muito no comportamento da criança, o que faz com que essas crianças façam do uso dos óculos, um verdadeiro sacrifício.

É importante ressaltar para a criança, a importância do uso dos óculos, para obtenção de uma boa visão. Por um outro lado, é preciso que os pais permitam a sua participação na escolha da armação, deixando inclusive que esta opção seja a que mais a agrade. Além disso, é necessário usar um pouco de psicologia e elogiar a sua estética, isto facilitará muito o uso dos óculos. Como atualmente os óculos têm armações mais leves e flexíveis, e as lentes são feitas de um material inquebrável, como a resina, existe uma maior segurança, em caso de queda ou acidente

Algumas vezes, além dos óculos, é necessária a oclusão de um dos olhos (o olho de melhor visão), para permitir que o olho "pior" (amblíope), desenvolva todo o seu potencial visual. Isto pode ser uma tarefa difícil e exige que os pais tenham persistência e compromisso, já que, embora não seja uma situação muito agradável, resultará na recuperação da visão da criança.

Acidentes

O velho ditado: "prevenir é sempre melhor que remediar", é muito válido para qualquer área da saúde e quando se trata da oftalmologia ele é mais válido do que nunca. Os pais não devem permitir nunca que as crianças brinquem com objetos pontiagudos, assim como brinquedos que não possuam as "quinas" arredondadas, além de ficar atentos às brincadeiras que envolvam atirar objetos. Além dos traumas por objetos, é muito freqüente na criança pequena, a conjuntivite química, resultante do "esfregar" os olhos com as mãozinhas sujas, ou depois de haver tocado algum produto de limpeza, por exemplo. Por isto, mantenha estas substancias sempre fora do alcance das crianças.

Outro cuidado importante é com relação aos animais de estimação, tanto no caso de acidentes, como os famosos arranhões, na região dos olhos, como também pelo aspecto da transmissão de doenças.

Avaliação

A grande maioria dos problemas oftalmológicos na infância estão também relacionados à presença de "grau". Isto pode facilmente ser corrigido com o uso dos óculos adequado. Basta que a criança tenha o acompanhamento de um especialista.

Uma vez diagnosticada qualquer alteração deve-se seguir corretamente as instruções, quanto ao uso da correção visual. Além disso, é preciso observar bem a periodicidade das consultas. Paciência e carinho são fundamentais, para conseguir colaboração da criança durante a consulta.

Algumas vezes, é necessário mais que uma consulta para o exame adequado, pois a criança, às vezes, precisa de mais tempo para se sentir familiarizada com o médico, o ambiente, e também com os tradicionais aparelhos do consultório de um oftalmologista.

Copyright © 2006 Bibliomed, Inc.           Revisado 01 de Novembro de 2006



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: