Publicidade

Artigos de saúde

Medidas Fisiológicas das Respostas Sexuais nos Homens

Embora um grande número de medidas tenha sido sugerido como indicadoras de excitação geral (batimentos cardíacos, condução cutânea, respiração, resposta pupilar, temperatura e pressão sangüínea), um número significativo de estudos negativos ou contraditórios impede que se extraiam conclusões finais acerca de tais sugestões, no momento atual.

A medição da tumescência peniana parece constituir a única resposta psicofisiológica capaz de distinguir a excitação sexual de outros estados emocionais.

Entretanto, Masters e Johnson registraram correlações bastante sistemáticas entre a excitação sexual de seus sujeitos masculinos e diversas medidas fisiológicas, como, por exemplo, a pressão sangüínea e a pulsação.

A explicação para suas descobertas parece residir no fato de que, nas pesquisas de Masters e Johnson, foram medidos índices de excitação mais elevados do que os encontrados nos estudos fisiológicos usuais, que envolvem, por exemplo, a exibição de diapositivos de nus. Nos baixos níveis de excitação, a ereção pode ser precocemente detectada ou identificada antes que ocorram alterações sistemáticas em outras medidas fisiológicas.

Convém também mencionarmos aqui o êxito recentemente registrado na distinção entre a impotência orgânica e a psicogênica, através do uso de medidas da tumescência peniana noturna. Verificou-se que a tumescência peniana ocorre em associação geral com o sono REM, nos sujeitos normais.

Em pacientes que sofrem de impotência psicogênica, ficou também determinado que esses quadros completos de ereção continuam a ocorrer durante a noite, testemunhando-se que se encontram intactos os mecanismos neurofisiológicos e neuroanatômicos subjacentes.

Os homens que sofrem de impotência orgânica exibem quadros prejudicados de ereção durante o sono. Embora a capacidade de discriminar entre a falha erétil orgânica e a psicogênica nem sempre possa ser obtida com segurança através dessa abordagem, a observação da tumescência peniana noturna é, por enquanto, o meio mais confiável de fazer essa distinção.

Fonte: Patologia e Terapia Sexual - 1ª Ed. - 1994.

Copyright © 2000 eHealth Latin America



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: