Publicidade

Artigos de saúde

O Envelhecimento do Sistema Nervoso

O sistema nervoso compõe-se de uma parte denominada Central e de outra denominada Periférica.

O Sistema Nervoso Central, formado pelo encéfalo e a medula espinhal, controla o funcionamento de todos os órgãos enviando e recebendo informações de todas as partes do corpo humano.

No encéfalo (cérebro, cerebelo e tronco) estão os centros que controlam desde nossas emoções, nossa compreensão e nossa linguagem, até aqueles que controlam nossos movimentos mais simples. Contém os órgãos responsáveis por nosso olfato, paladar, visão e audição.

Mais que qualquer órgão o encéfalo tem grande sensibilidade ao oxigênio que recebe através do sangue arterial, sendo que a sua falta produz em tempo muito curto graves lesões. Daí a razão das doenças vasculares cerebrais serem tão importantes.

A medula espinhal é uma continuação da porção final do encéfalo ou tronco cerebral e fica dentro da coluna espinhal e termina ao nível da região lombar. Contém as fibras nervosas que nascem na periferia (pele, músculos e articulações, por exemplo) e que levam informações para o encéfalo e também as fibras que vem do encéfalo e levam informações para os órgãos, músculos, articulações, etc.

Os nervos formam o Sistema Nervoso Periférico e tem a função de ligar o encéfalo e a medula ao resto do corpo humano. Os nervos trazem as informações ou sensações para o cérebro (nervos sensoriais) ou levam as informações ou estímulos para os músculos (nervos motores). Os nervos sensoriais, por exemplo, estão relacionados com a dor e a temperatura e os nervos motores estão relacionados aos movimentos dos músculos. Existem ainda nervos mistos (que contém fibras sensoriais e motoras e nervos especiais (simpáticos e parassimpáticos) que controlam as funções involuntárias, como as do coração e dos pulmões, por exemplo).

O envelhecimento das células nervosas cerebrais (neurônios) se inicia ao redor dos 30 anos. Este processo leva a uma perda de células com conseqüente diminuição do peso do cérebro, que na terceira idade chega a pesar 10% a menos.

Por outro lado há uma diminuição na irrigação sangüínea devido principalmente ao estreitamento das artérias e em conseqüência ocorre a diminuição da função celular, o que leva a queda na atividade cerebral levando, por exemplo, a diminuição da memória. Quanto ao metabolismo cerebral observa-se muito poucas alterações na terceira idade.

Com o avanço da idade observa-se um encurtamento do tempo de sono, uma certa mudança no humor, e uma queda nas atividades motoras e intelectuais. A memória para fatos recentes diminui de maneira muito característica, mas varia de pessoa para pessoa.

Várias manifestações cerebrais são muito características da terceira idade, como a falta de memória, e a insônia..

Os tremores, os tiques, e as alterações da fala (afasia) também podem ocorrer na 3ª Idade.

A convulsão ou epilepsia pode ser o sintoma de inúmeras moléstias cerebrais, bem como a cefaléia. Os distúrbios da gustação e do olfato podem também ser manifestações de certas doenças. O estado de coma é uma manifestação muito importante que em alguns casos não se deve à moléstia neurológica.

O acidente vascular cerebral ou "derrame", as demências e a doença de Parkinson são as principais moléstias neurológicas que acometem o sistema nervoso central na 3ª idade. O hematoma intracraniano ou subdural crônico, é uma complicação dos traumatismos da cabeça e é comum no idoso.Infecções (encefalites e meningites) e tumores também podem ocorrer na terceira idade. O câncer cerebral é raro acima dos 70 anos e até esta idade os principais tumores cerebrais são as metástases e os tumores próprios do sistema nervoso. O estudo do sistema nervoso é feito através da tomografia axial computadorizada e da ressonância nuclear magnética. O exame do líquor em geral é realizado para o estudo das infecções e dos processos inflamatórios que atingem o sistema nervoso e o eletroencefalograma estuda a epilepsia. A angiografia cerebral deve ser realizada em algumas situações em que haja necessidade de se estudar os vasos cerebrais, com destaque para os aneurismas intracranianos e as más formações artério-venosas.

As neuropatias ou neurites são as doenças que atingem o sistema nervoso periférico. As principais neuropatias que atingem a 3ª idade são as provocadas pelo diabetes e pela intoxicação pelo álcool. O herpes zoster produz uma neuropatia muito importante que também pode atingir o idoso: a neurite herpética. Doença que eventualmente atinge pessoas na 3ª idade é a inflamação de vários nervos ao mesmo tempo, ou a polirradiculoneurite.

O comprometimento do nervo também pode ocorrer por compressão do mesmo através de um tumor localizado na coluna ou de uma hérnia de disco intervertebral. Esta situação é denominada dor ciática, sendo muito característica e que se irradia pela coxa podendo ir até o pé.

Uma situação que ocorre com certa freqüência na velhice é a Síndrome do Túnel do Carpo, devida a compressão de nervo ao nível do punho, provocando dores e formigamentos na mão.

As nevralgias são situações dolorosas relacionadas aos nervos, destacando-se a nevralgia do trigêmeo.

No diagnóstico das neuropatias dois exames são importantes: a eletroneuromiografia e o potencial evocado.

© 2000 BoaSaúde.com



Publicidade

Dicionário Médico

Digite o termo desejado

buscar

Ou clique na primeira letra do termo: